Fernando Diniz - Boavista x Fluminense

Fernando Diniz ficou satisfeito com a atuação do Fluminense diante do Boavista (Foto: LUCAS MERÇON / FFC)

LANCE!
15/03/2019
00:00
Saquarema (RJ)

A desempenho do Fluminense na vitória por 3 a 0 sobre o Boavista, pelo Carioca, agradou Fernando Diniz. Diante da atuação de seus comandados, o técnico avaliou que a vitória seria provável, mas apontou margem para evolução. O que não arrancou sorrisos do treinador foi a situação de Marquinhos Calazans. Ele reconhece o interesse do São Paulo no jogador, mas não garantiu a permanência do ponteiro. 

- Eu sei do interesse, conversei com ele. A minha intenção é que ele fique, mas não depende só de mim. Depende de outras coisas, de valores e da vontade do Marquinhos. Ele estava sendo importante, foi muito utilizado por mim. Estava muito no começo quando falamos. Ele não falou nada. Eu não sei em que pé está a negociação e também não sei o que o Marquinhos pensa - disse, em coletiva. 

Apesar do bom começou de ano à frente do Flu, o treinador tem sido cobrado por uma maior utilização da base tricolor. Sobre o tema, o técnico garantiu que não há predileção pelos 'meninos de Xerém': 

 - O Fluminense não é uma divisão entre jogadores da base e de jogadores que vieram de outros clubes. Essa divisão não existe, não tem o menor sentido. Se tiver de os 11 da base, como foi quase na estreia do Carioca, quando usamos muito, a gente vai usar. Eu boto no campo quem eu acho que vai representar bem o time e está em melhor momento.

O time das Laranjeiras terminou bem a quarta-feira, mas o dia não foi apenas de boas notícias. No meio da tarde, Digão foi diagnosticado com uma fratura na perna esquerda e fica fora por até dois meses. Enquanto isso,  Léo Santos, que hoje substituiu o capitão tricolor, não está inscrito na Sul-Americana, e, portanto, não pode atuar na quinta-feira, contra o Antofagasta. Diniz falou sobre a nova dor de cabeça: 

- Vou pensar primeiro no Botafogo. Depois, vou ver como montar o time contra o Antafogasta. A notícia triste foi a lesão do Digão, a nossa grande liderança. Tem o apoio de todo mundo, tem influência positiva sobre os jogadores, o que me ajudou muito desde a minha chegada. Torço pela recuperação, vai aproveitar um pouco a família. 

Atualmente, o comandante conta com os seguintes zagueiros: Paulo Ricardo, Frazan, o recém-contratado Nino, Ferraz e Léo Santos. Os dois últimos devem formar a zaga do Fluminense no domingo, contra o Botafogo, às 19h, pelo Campeonato Carioca.