Fábio Carille - Al-Ittihad

Fábio Carille não é a prioridade do clube, mas está na lista da direção (Foto: Divulgação/Al-Ittihad)

Alexandre Guariglia e Fábio Lázaro 
17/05/2021
17:11
São Paulo (SP)

O Corinthians tem Renato Gaúcho como plano A para assumir o comando técnico do time, mas outros nomes estão na lista feita pelos dirigentes do clube. Um deles é o de Fábio Carille, atualmente no Al-Ittihad, da Arábia Saudita. Velho conhecido no Timão, ele deve ficar livre no mercado em breve, mas o tempo é um fator que, neste momento, o afasta de um retorno.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão-2021 clicando aqui

GALERIA
> Veja 30 técnicos brasileiros sem clube atualmente

A situação de Carille no time saudita está indefinida, já que o contrato com o Ittihad se encerra no fim de junho e ele não deve renovar. Havia no contrato uma preferência para que os árabes renovassem até o fim de abril, mas isso não foi exercido. Quarto colocado no campeonato local, ainda restam três rodadas para o encerramento da competição, que acontece no fim deste mês.

Com histórico vitorioso e duas passagens como técnico do Timão, Carille tem bom relacionamento com os nomes da gestão atual e ambas as partes sabem disso, o que estreitaria essa ligação. Diferentemente do que acontecia com Andrés Sanchez, relação que inclusive teve trocas de farpas públicas em virtude da última vez em que comandou o clube e foi demitido, na temporada 2019.

O entrave no momento é a pressa com que o Corinthians trata a contratação do novo treinador. Se for contratado, Carille só poderia assumir o clube em junho, após o início do Campeonato Brasileiro. Uma rescisão antes disso dificilmente aconteceria. A vinda não é descartada, mas conta com fatores que diminuem a possibilidade. Atualmente, ele não é a prioridade da cúpula.

Além disso, há um certo receio quanto ao desgaste do profissional com algumas peças do elenco corintiano que permanecem no clube desde a última passagem dele, em 2019. Algumas, inclusive, possuem papel de liderança frente aos jogadores. O fator é levado em conta, mas não seria decisivo.

O treinador vê com bons olhos o retorno ao mercado brasileiro e, inclusive, foi oferecido ao Fluminense no início do ano, antes da contratação de Roger Machado pelo Tricolor carioca. O negócio, no entanto, não evoluiu e ele permaneceu na Arábia Saudita, onde deve cumprir seu contrato ate o fim.