Renato Augusto, Willian e Róger Guedes

Trio soma 11 gols na temporada pelo Timão (Foto: Agência Corinthians)

Rafael Marson
01/06/2022
07:00
São Paulo (SP)

Renato Augusto, Willian e Róger Guedes chegaram com status de estrela ao Corinthians no segundo semestre do ano passado. No entanto, nesta primeira metade da temporada, o trio de reforços vem mostrando dificuldades para exibir o poder de decisão por diferentes motivos.

> GALERIA - Veja os garotos da base que tiveram chances com VP

O baixo rendimento dos atletas citados coincide com o momento vivido pelo Timão, que está firme no Brasileirão, Libertadores e Copa do Brasil, mas vem apresentando um futebol aquém das expectativas criadas em torno de um elenco com jogadores altamente capacitados.

O LANCE! traz o panorama da situação de cada um dos jogadores do trio e explica os motivos por trás dessa instabilidade.

RENATO AUGUSTO
Segunda contratação do Corinthians em 2021, Renato Augusto foi fundamental para o clube alvinegro garantir vaga direta na fase de grupos da Libertadores, marcando gols cruciais contra Cuiabá e Grêmio pelo Brasileirão. Suas atuações ligaram o radar de Tite para receber nova chance na Seleção Brasileira.

No entanto, sob o comando de Vítor Pereira, o camisa 8 vem passando por dificuldades táticas e técnicas, atuando em um região no meio-campo que não está habituado. O novo comportamento está prejudicando o jogo de Renato, bem como a sua confiança, segundo o treinador português.

O camisa 8 está há cinco jogos sem contribuir com gol ou assistência. Sua última participação direta em uma bola na rede foi na quinta rodada do Brasileirão, no dia 8 de maio, quando marcou o gol da vitória corintiana sobre o Red Bull Bragantino, fora de casa.

WILLIAN
Após rescindir seu vínculo com o Arsenal e priorizar o Corinthians em relação a outro times do Velho Continente, a expectativa era que Willian não apenas se tornasse um dos principais jogadores do clube alvinegro, como também do futebol brasileiro.

Um dos aspectos que vem minando o futebol do meia-atacante é a maneira como os adversários decidem enfrentá-lo. Com 18 dribles realizados no Brasileirão, ele lidera a competição neste quesito. Os rivais passaram a adotar um rodízio de faltas no camisa 10, e ele é o atleta do elenco alvinegro que mais sofreu faltas em 2022 (61), segundo o Footstats.

O estilo violento e em alguns momentos desleal dos adversários faz com que Willian esteja mais suscetível a dores e lesões. Durante o empate por 1 a 1 com o América-MG, pelo Brasileirão, ele saiu no primeiro tempo e teve diagnosticado um trauma no tornozelo direito.

Seu único gol nesta segunda passagem pelo Timão foi de pênalti, na vitória por 3 a 0 contra o São Bernardo, pela sétima rodada da fase de grupos do Paulistão, no dia 16 de fevereiro.

O ambiente hostil e violento do futebol brasileiro também afeta o jogador e sua família, que receberam ameaças pelas redes sociais. A situação vem deixando Willian e pessoas próximas ao jogador cada vez mais incomodadas e inseguras, e o atleta tem interesse em sair do Timão para retornar ao Velho Continente, segundo apurado pelo LANCE!.

Porém, ele tem contrato com o clube alvinegro até dezembro de 2023 e até o momento, nenhuma proposta oficial chegou para a diretoria do Timão, que não pretende se desfazer do atleta.

> TABELA - Confira e simule os jogos do Campeonato Brasileiro

Renato Augusto e Willian
Renato e Willian em ação pelo Timão (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)

RÓGER GUEDES
Principal arma ofensiva na reta final da temporada passada, Róger Guedes viu seu status mudar com a chegada de Vítor Pereira. Informações obtidas pelo LANCE! apontam que desde que o treinador iniciou o esquema de rodízio no Timão, há cerca de dois meses, o camisa 9 tem se incomodado em ficar de fora dos jogos importantes, principalmente os da Libertadores.

Dos 1.980 minutos disputados pelo Corinthians com Vítor, o atacante participou de 1.048. Isso significa que ele esteve em campo apenas 53% do tempo desde que o português assumiu o clube. Mesmo assim, ele é o artilheiro do clube alvinegro no ano, com sete gols.

O estopim dos problemas entre o camisa 9 e o treinador corintiano veio após o empate por 1 a 1 contra o São Paulo, no Brasileirão. Na coletiva depois do Majestoso, Vítor disse não estar com confiança no atleta e revelou que Róger tem demonstrado dificuldades de corresponder nos treinos.

Uma semana depois, em coletiva no CT Joaquim Grava, Vítor Pereira revelou ter conversado com Róger Guedes e afirmou que o atacante 'já está diferente'