Carille

(Foto: Ana Canhedo/Lancepress!)

LANCE!
08/04/2019
23:15
São Paulo (SP) 

A entrevista de Fábio Carille após a classificação à final do Campeonato Paulista ficou marcada por uma ríspida discussão entre o técnico do Corinthians e o repórter André Ranieri, da Jovem Pan. O treinador foi questionado sobre os supostos espiões nos treinamentos do Timão e sobre a relação conturbada com a imprensa desde sua primeira passagem no clube. 

Carille foi questionado sobre ter chamado a imprensa de "mentirosa" quando negociava sua ida à Arábia Saudita e também sobre o fato de ter confundido o sigilo de fonte jornalística com o suposto "espião" - o treinador havia dito que jornalistas escondem fontes e, portanto, ele não precisaria revelar quem é o "espião", confundindo as duas coisas. 


Na resposta dada ao jornalista durante a entrevista, Carille acabou revelando que a tal "fonte" foi um técnico de um time rival, mas não revelou quem é o espião que passou jogadas do Corinthians ao rival. 

- Que bom ter levantado isso daí. Minha resposta será bem longa. Eu ganho um jogo na Arena Corinthians de 1 a 0 de uma jogada de bola parada, que eu treinei. E o técnico adversário, que é meu amigo, eu vou pro vestiário cumprimentar. Ele diz "fogo perder um jogo de uma bola que eu já sabia". Falei como assim? Ele falou: "fica esperto, tão passando" (informações) - disse Carille, e seguiu: 

- Falaram que eu ia ganhar R$ 1,5 milhão no Hilal e que o Rodriguinho já estava contratado. Eu recebi a proposta no domingo, no jogo contra o Sport, e acertei minha ida na segunda. Na quarta anterior foi noticiado que eu estava acertado com o Al Hilal. É isso que vem. Eu tomei uma pressão no posto de gasolina porque os setoristas falaram que eu barrei a vinda do Drogba. Eu tomo também essa pressão. Se equivocam demais.

Antes de encerrar, Carille perguntou ao repórter se "a carapuça serviu" e o questionou por estar incomodado com a postura do treinador. Em contrapartida, o repórter disse que o técnico terá de provar após sugerir que ele poderia ser o espião. 

Encerrada a coletiva, o presidente Andrés Sánchez entrou em cena para pedir foco apenas no futebol. "Quero pedir desculpas a vocês por tudo isso, vamos falar de futebol. O Corinthians jogou mal, todos sabemos disso, mas temos de valorizar a vaga nos pênaltis. Vamos deixar essas discussões para depois", ponderou o dirigente.