Montagem Eduardo Berizzo e Félix Sánchez

Eduardo Berizzo, do Paraguai, e Félix Sánchez, do Qatar: seleções duelam neste domingo, no Maracanã (Foto: AFP)

Matheus Dantas
16/06/2019
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

No Maracanã, Paraguai e Qatar estreiam neste domingo, às 16h, na Copa América. As duas seleções não chegam à competição entre aa favoritas ao título, o que não diminui a importância do torneio para os trabalhos de Eduardo Berizzo e Félix Sánchez, respectivamente. Os treinadores - e os atletas - já pensam na Mundial de 2022 e encaram a Copa como um grande teste.

Berizzo, 49 anos, assumiu o comando da Albirroja em fevereiro e dirigiu o time em quatro amistosos até agora, com uma vitória, um empate e duas derrotas. O técnico ainda está buscando formar um grupo visando as Eliminatórias.

- É a primeira competição juntos. Estamos nos conhecendo, é um processo novo. Temos que consolidar um grupo. Nosso principal objetivo é ganhar partidas e também chegar à Copa do Mundo. Não há melhor cenário para começar isso do que essa Copa América - afirmou Berizzo, técnico do Paraguai.

No Grupo B da Copa América, Paraguai e Qatar ainda enfrentam Argentina e Colômbia

O treinador, nascido em Cruz Alta, na Argentina, tem a missão de levar o Paraguai de volta a uma Copa do Mundo. A última vez foi em 2010.

Este é o primeiro trabalho de Eduardo Berizzo à frente de uma seleção, e o treinador, com passagens por Estudiantes, da Argentina, O'Higgins, do Chile, e Celta de Vigo e Athletic Bilbao, da Espanha, comentou a experiência.

- A diferença principal de treinar a seleção é sentir a essência do jogador representar o país. Isso lida com o sentimento. Escrever o nome na história do país, essa foi a principal razão de me aventurar em dirigir o Paraguai. Os jogadores têm demonstrado tudo isso nesse tempo que estamos trabalhando.

Uma das seleções convidadas para a Copa América, o Qatar, por sua vez, será sede do Mundial em 2022 e, por isso, já tem participação garantida. O trabalho de Félix Sánchez, portanto, é dar experiência internacional e preparar a equipe para fazer uma boa campanha em casa. O treinador está no comando da seleção desde 2017 e, em maio, teve o contrato estendido até o final de 2022.

- É um desafio, uma competição que nunca jogamos e poderemos ver o nosso nível e se podemos competir em um nível tão alto. São equipes muito fortes, temos a confiança que o time está crescendo e comprometido com o projeto de chegar à Copa do Mundo em bom nível e em fazer um bom papel na Copa América - afirmou Félix Sánchez, treinador espanhol de 49 anos.

Em 2019, o Qatar alcançou bons resultados, conquistando a Copa da Ásia com 100% de aproveitamento. Foram sete vitórias na campanha, que terminou com o triunfo por 3 a 1 sobre o Japão. O time de Félix Sánchez marcou 19 gols. No Brasil há algumas semanas, o Qatar perdeu para a Seleção Brasileira por 2 a 0 e, em jogo-treino, derrotou o Madureira, clube do Rio de Janeiro, por 2 a 1.

Confira mais informações da partida entre Paraguai e Peru:

Estádio:
Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data-hora: 16 de junho de 2019, às 16h
Árbitro: Diego Haro (PER)
Assistentes: Jonny Bossio (PER) e Victor Raez (PER)
Árbitro de vídeo: Rapahel Claus (BRA)

PARAGUAI: Gatito Fernández; Escobar, Balbuena, Valdez e Alonso; Matías Rojas, Rodrigo Rojas e Miguel Almirón; Derlis González, Óscar Cardozo e Dominguez - T: Eduardo Berizzo

QATAR: Al Sheeb; Ró-Ró, Khoukhi, Al-Rawi e Salman; Hasan, Madebo, Hamid e Hasan; Afif e Ali - T: Félix Sánchez