Alexandre Corrêa
23/05/2017
21:34
Chapecó (SC)

Com uma virada espetacular nos acréscimos, a Chapecoense derrotou o Zulia (VEN) por 2 a 1 na Arena Condá, na noite desta terça-feira. Após estar perdendo durante o jogo inteiro, time de Chapecó virou em dois minutos e terminou em terceiro lugar no Grupo 7 da Copa Libertadores, posição que assegura uma vaga na Sul-Americana de 2017. Arthur e Girotto fizeram os gols da classificação heroica.

A Chape começou com um ímpeto muito forte, apesar da decisão judicial que a eliminou da Libertadores horas antes da partida, por conta da escalação considerada irregular de Luiz Otávio na vitória sobre o Lanús (ARG), na rodada anterior. Ainda havia algo pelo o que lutar: o terceiro colocado do grupo se garantiria na Sul-Americana. Para isso, a Chapecoense precisava da vitória. Rossi e Apodi eram as válvulas de escape no primeiro tempo, chegando sempre pela direita ao gol defendido por Vega.

Mesmo dominando o jogo, porém, a Chapecoense não conseguiu concretizar suas oportunidades no primeiro tempo. Na única chance que teve, o Zulia mandou para a rede. Unrein pegou a bola pela esquerda, cruzou rasteiro e Arango completou para o gol. Um banho de água fria na equipe catarinense, que ainda mandou uma bola no travessão antes de terminar o primeiro tempo.

A Chape, precisando da virada para ir à Sul-Americana, começou o segundo tempo mais uma vez com um ímpeto muito forte, pressionando a saída de bola, tentando encurralar o adversário. Vágner Mancini sacou Luiz Antônio e colocou Túlio de Melo, aumentando o poder ofensivo da equipe.

Aos oito minutos veio a primeira grande chance. Rossi foi lançado pela direita e rolou para Wellington Paulista. O camisa 9 chegou chutando e acertou o travessão do Zulia. A pressão, que já era grande, ficou ainda maior quando Bello recebeu o segundo amarelo e foi expulso aos 25 minutos.

A equipe de Vágner Mancini fazia tudo certo: chegava bem, criava oportunidades, mas, na hora de concluir, pecava na finalização. A equipe catarinense acertou, por incrível que pareça, quatro vezes a trave do Zulia.

Aos 45, finalmente uma recompensa ao domínio da Chapecoense. Depois de bate rebate na área, a bola sobrou para Arthur, que encheu o pé para empatar o jogo. Um minuto depois, o milagre. Andrei Girotto recebeu cruzamento de Rossi e cabeceou para virar a partida. Não havia mais tempo depois disso, e o árbitro encerrou a partida, que entrou para a história do time brasileiro que vem conquistando o resto do mundo.

A Chape ficou com sete pontos, na terceira posição da chave. Se não tivesse perdido os três pontos na vitória sobre os argentinos, estaria classificada para as oitavas de final da Libertadores. O departamento jurídico irá recorrer da decisão que eliminou os brasileiros da competição nesta terça.

FICHA TÉCNICA
CHAPECOENSE 2 X 1 ZULIA (VEN)


Local: Arena Condá, Chapecó
Data-hora: 23/5/2017 – 19h30
Árbitro: Gustavo Murillo (Fifa-COL)
Auxiliares: Alexander Guzmán (Fifa-COL) e Cristian de la Cruz (Fifa-COL)
Público: Não disponível
Cartões amarelos: Wellington Paulista e Douglas Grolli (CHA); Vega, Bello e César Gómez (ZUL)
Cartões vermelhos: Bello, 25'2°T (ZUL)
Gols: Arango, 29'1°T (0 a 1), Arthur, 45'2°T (1 a 1) e Andrei Girotto, 46'2°T (2 a 1)

CHAPECOENSE: Jandrei; Apodi (Neném, 28'2°T), Douglas Grolli, Nathan (Fabrício Bruno, 7'2°T) e Reinaldo; Andrei Girotto, Luiz Antônio (Túlio de Melo, int) e João Pedro; Rossi, Wellington Paulista e Arthur – Técnico: Vágner Mancini.

ZULIA (VEN): Vega; Rivillo, Palomino, Plazas, Cuevas (Martínez, 14'2°T) e Bello; Júnior Moreno, César Gómez, Arango e Orozco; Unrein (Guaycochea, 35'1°T) – Técnico: Daniel Farías.