William Correia
09/07/2017
20:59
Santos (SP)

Copete causou aflição logo nos primeiros minutos do clássico deste domingo ao, após errar um chute, levantar a camisa e exibir as marcas na barriga de um acidente com panela de pressão. Mas nem o abdômen sangrando atrapalhou o colombiano, autor dos três gols na vitória por 3 a 2 sobre o São Paulo.

As cicatrizes ficam para o rival,  que até perdeu pênalti com Pratto. Dorival Júnior assumirá nesta segunda-feira um time que não vence há sete jogos e está em penúltimo lugar no Campeonato Brasileiro.


Na quinta-feira, às 19h30, no Morumbi, com o novo técnico no banco, o Tricolor, dono de 11 pontos em 12 rodadas, recebe no Morumbi a única equipe com campanha pior do que a sua: o lanterna Atlético-GO.

Uma situação bem diferente da que vive o Peixe, que assume a quarta
colocação, agora com 20 pontos, na zona de vaga direta na fase de grupos
da Libertadores de 2018, e visita o Atlético-MG, às 19h30 de quarta.

E o São Paulo chegou a sonhar com mais. Ainda perto de perder Rodrigo Caio para o russo Zenit e sem Cueva, afastado para ser negociado (embora o técnico interino Pintado assuma publicamente a responsabilidade), teve as estreias de Arboleda e Jonatan Gomez e começou marcando adiantado. Até fez gol irregular com Denilson, impedido.

Mas, aos poucos, o 4-3-3 do Santos empurrou o 4-3-3 rival. O Peixe, sem Bruno Henrique, machucado, achou espaço e logo viu em Copete a chance de aproveitar da má fase adversária. Quando o Tricolor percebeu, o rival estava em sua área e Copete perdeu gol debaixo das traves, aos 37 minutos do primeiro tempo. Mas o colombiano não errou mais.

Renan Ribeiro cansou de pegar chutes e, quando rebateu, a bola encontrou Copete livre para fazer, aos 43 do primeiro tempo. Na volta do intervalo, aos 8, Júnior Tavares tentou puxar contra-ataque e entregou a bola para o Santos, que logo a colocou na cabeça de Copete, de novo, balançar as redes. O Tricolor parecia entregue quando Jean Mota limpou Buffarini e deu mais um gol a Copete, aos 21.

Parecia que o jogo só poderia piorar para o São Paulo, até porque
Pratto bateu na trave o pênalti que sofreu de David Braz. Mas Pintado colocou os garotos Shaylon e Lucas Fernandes em campo e descontou com o próprio Shaylon e Arboleda. Um sinal de esperança para Dorival, mas insuficiente para somar ponto na Vila Belmiro neste domingo.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 3 X 2 SÃO PAULO
Local:
Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data: 9 de julho de 2017, domingo
Árbitro: Sandro Meira Ricci (SC)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho (SP) e Marcelo Carvalho Van Gasse (SP)
Público e renda: 10.322 pagantes/R$ 422.935,00
Cartões amarelos: Copete, Jean Mota e Lucas Lima (Santos), Pratto, Lucas Fernandes e Júnior Tavares (São Paulo)
GOLS: Copete, aos 43/1ºT (1-0), Copete, aos 8/2ºT (2-0) e Copete, aos 21/2ºT (3-0), Shaylon, aos 30/2ºT (3-1) e Arboleda, aos 41/2ºT (3-2)

SANTOS: Vanderlei; Victor Ferraz, David Braz, Lucas Veríssimo e Jean Mota; Renato (Leandro Donizete, aos 9/2ºT), Thiago Maia e Lucas Lima; Copete (Vladimir Hernández, aos 42/2ºT), Thiago Ribeiro (Arthur Gomes, aos 27/2ºT) e Kayke. Técnico: Levir Culpi

SÃO PAULO: Renan Ribeiro; Buffarini (Wesley, aos 37/2ºT), Arboleda, Rodrigo Caio e Júnior Tavares; Jucilei, Petros e Jonatan Gomez; Marcinho (Shaylon, aos 11/2ºT), Denilson (Lucas Fernandes, aos 28/2ºT) e Pratto. Técnico: Pintado