Eduardo Barroca - Botafogo

Eduardo Barroca é o treinador do Botafogo (Foto: Vítor Silva/Botafogo)

Sergio Santana
12/07/2019
18:17
Rio de Janeiro (RJ)

Os bastidores do Botafogo passaram por problemas na última semana. Com dois meses de salários atrasados, os atletas, em forma de protesto, decidiram não se manifestar com a imprensa e participar de ações de marketing do clube. A coisa, porém, não se repetiu dentro de campo, pelo menos de acordo com as palavras de Eduardo Barroca, que realizou entrevista coletiva nesta sexta-feira, no Estádio Nilton Santos.

- Eu preciso focar naquilo que eu posso colaborar, que é a parte desportiva, mas preciso ser frontal com a realidade. Estamos com salários atrasados, mas a diretoria está correndo atrás disso. Desde o início, sentei com os jogadores e chegamos à conclusão que tudo que vinha sido desenvolvido de trabalho não podia ser afetado. Resolvemos criar um pacto de excelência no âmbito esportivo e isso vem sendo trabalhado em plenitude - afirmou.

Eduardo Barroca afirmou que os jogadores, apesar de desejarem protestar, não pensaram em abrir mão do lado esportivo em nenhum momento. O técnico, portanto, classificou esse período de treinos, durante a disputa da Copa América, como positivo.

- Quando sentamos para conversar sobre esse assunto, eles me comunicaram sobre a decisão, eles já tinham feito isso esse ano. Eles comunicaram que queriam uma ação que não prejudicasse o lado esportivo. Minha responsabilidade é cuidar do lado desportivo, eu queria uma resposta daquilo que eles vinham construindo, que a torcida do Botafogo se identifique com o que eles estão fazendo em campo - confessou.

Barroca, inclusive, citou que o próprio elenco solicitou a ele para que fosse o responsável por não trazer a questão que envolve os bastidores para dentro do campo. O treinador detalhou a evolução dos jogadores em números, afirmando que praticamente todos os atletas evoluíram fisicamente.

- A gente não pode abrir mão de entrega e daquilo que a torcida quer ver deles em campo, eu falei que seria o elemento que cobraria isso. Eles me pediram para ser esse cara, eu termino esse período de treino extremamente satisfeito, eu estabeleci metas com eles. Durante esse período de 21 treinos, nossa equipe ganhou 20kg a mais de massa muscular, só o Alex Santana evoluiu 3kg. Nossa equipe perdeu 5kg de gordura, estamos satisfeito com os resultados, cabe a gente transferir isso para o jogo - completou.

Após 21 sessões de treinamento, o Botafogo volta aos gramados no próximo domingo para enfrentar o Cruzeiro, no retorno do Campeonato Brasileiro. Barroca indicou que o Alvinegro vai iniciar a segunda parte da competição e que o objetivo é o mesmo da primeira parte do torneio: pontuar e, por consequência, chegar no grupo dos quatro primeiros colocados na tabela.

- Dividi o campeonato em quatro ciclos. Estamos iniciando o segundo, fizemos 15 pontos no primeiro, com 55% de aproveitamento. Começa contra o Cruzeiro e vai contra o Ceará, são dez jogos com a possibilidade de duas fases da Copa Sul-Americana. Um detalhe é que, das dez equipes que vamos pegar, cinco disputam três competições ao mesmo tempo, talvez estejam com desgaste físico e foco dividido - analisou.

- Eu falei com eles que nesses três primeiros jogos de Brasileirão a gente precisa pontuar o máximo que puder, assim como no primeiro ciclo, quando vencemos duas das três primeiras partidas. A gente está a um ponto do G4, estamos com uma margem de segurança de cinco pontos na primeira vaga da Sul-Americana e sete do Z4. Nosso objetivo é entrar no G4 e aumentar a distância de segurança para a 12ª posição e para o Z4 - completou.

Veja outros pontos citados por Barroca na coletiva:

Jogo contra o Cruzeiro
- Eu não tenho a menor dúvida que vou enfrentar um Cruzeiro forte, uma equipe com sequência de trabalho e que se sente confortável jogando em casa. Oscilou um pouco nesse começo de Campeonato Brasileiro e, se eu pudesse apostar, diria que o Cruzeiro não termina nessa posição. É uma equipe que está em três competições e teve que dividir o foco, é normal. Eu sou fã do Mano (Menezes), tem uma conduta linear e resultados sempre expressivos, mas temos confiança nesse tempo de preparo, foram 21 sessões de treinamento. Não peguei a equipe no começo, então foi bom para ajustar e ter as referências internas da gente nessa parte da competição - analisou.

Marcinho x Fernando
- A disputa está aberta desde que cheguei, são dois jogadores com potencial de Seleção Brasileira. Marcinho já foi citado e o Fernando é um dos quatro jogadores a concorrer para o futuro da lateral direita na minha visão, eu já trabalhei com todos os jogadores dessa geração e falo com propriedade, o Guga do Atlético, por exemplo, não vem jogando muito. O que o Marcinho tem de bom, o Fernando precisa ajustar e o que o Fernando tem de bom, o Marcinho precisa ajustar.

Biro Biro
- Tenho sim, é um jogador que me agrada. Tem velocidade, drible, finta, improvisa, tem capacidade no 1x1 e sabe fazer gol. Estou feliz, chegou adaptado, entrosado, treinando bem. Adaptou-se rápido aquilo que a gente precisava dele, vai ser muito útil para o decorrer da temporada. Consegue jogar dos dois lados, na China também jogou centralizado, como o meia atrás do atacante, fez bastante gols assim. Joga em mais de uma posição e tem experiência, isso vai ajudar.

Victor Rangel
- Excelente, foi muito prudente não chegar e colocar ele, porque ele tinha um desequilíbrio muscular, e hoje a gente vê o Victor Rangel liderando uma série de dados físicos, é um cara extremamente dedicado.

Evolução do elenco
- Preciso exaltar o Alan Santos, ele tinha uma audiência no México, estava liberado por mim para ir, e ele abriu mão da audiência para estar com a gente nesse momento. O Kanu, que eu conheci como um menino, e hoje tem um comportamento profissional. De uma forma geral, estou bastante satisfeito com o que os jogadores entregaram nesse processo, nós trabalhamos para caramba, foram 90 quilômetros acumulados desde o dia 24 de volume de treinamento. Em média, equivale a nove partidas completas. A gente tirou o couro deles e espera a transferência dos nossos objetivos.