Índio Ramírez

Indio Ramirez será reintegrado ao elenco do Bahia (Foto: Reprodução/Instagram)

LANCE!
24/12/2020
13:10
Futebol Latino

Através de comunicado no site oficial, o Bahia informou ao seu torcedor que o meio-campista Indio Ramírez, acusado por Gerson de injúria racial, será reintegrado ao elenco de atletas.


+ TABELA DE CLASSIFICAÇÃO DO CAMPEONATO BRASILEIRO

A decisão foi tomada após os laudos encomendados pelo Tricolor não comprovarem as ofensas do colombiano ao jogador do Flamengo, em jogo disputado no último domingo, no Maracanã.

Na ‘carta à sociedade’, o Tricolor mostrou novamente apoio a luta contra o racismo e prometeu que vai tomar algumas medidas internas sobre o assunto:

1. Inclusão de cláusula anti-racista, xenofóbica e homofóbica no contrato dos atletas.

2. Proposta de criação de protocolo antidiscriminatório para jogos de futebol no Brasil.

3. Implantação do projeto “Dedo na Ferida” para o elenco na pré-temporada. Não haverá jogador ou jogadora que vista a camisa do Bahia sem que tenha antes a oportunidade de obter acesso a uma imersão sobre racismo estrutural.

4. Encaminhamento junto à mesa do Conselho Deliberativo do clube para incorporação de cotas raciais nas próximas eleições.

5. Inclusão de espaço no Museu do Bahia dedicado ao combate e debate do racismo, xenofobia, sexismo e LGBTfobia e demais formas de intolerância.

6. Apoio ao projeto de lei que Cria o Dia Nacional Da Luta Contra o Racismo no Futebol

Confira a carta emitida pela diretoria do Bahia:

'NÃO IDENTIFICAMOS PROVAS', DIZ O PRESIDENTE DO BAHIA

Nesta quinta-feira, o presidente do Bahia, Guilherme Belintani, participou de uma entrevista à TVE Bahia para falar mais sobre o caso. O mandatário afirmou não ter identificado provas de que Ramirez teria dito palavras racistas a Gerson e Bruno Henrique, mas deixou claro que o clube segue atento aos processos que estão acontecendo e aberto a novas análises.

- A gente se esforçou, esforçou e não conseguiu identificar uma outra prova ou circunstância além da palavra da vítima. Quando eu falo isso, não é reducionismo. É dizendo que foi a palavra da vítima, que é relevante, importante, ponto. Eu não consegui cravar que a decisão mais correta seria abandonar a presunção de inocência do Ramírez. Nós consolidamos a ideia de que ele deve continuar no clube e ser reintegrado imediatamente. Ficaremos atentos aos processos paralelos que estão acontecendo e entendendo que qualquer outro fato que surja vai merecer análise - disse, antes de completar:

- Sou dono e responsável pelas minhas decisões, assumo as consequências dela. A responsabilidade é minha. O Bahia seguirá firme nessa luta e eu peço a confiança das pessoas.