Alberto Valentim - Athletico-PR

Alberto Valentim, durante entrevista coletiva do Athletico na final da Copa do Brasil (Foto: Luiza Sá)

Luiza Sá
14/12/2021
16:56
Curitiba (PR)

Depois de adotar uma postura bem realista ao dizer que seria difícil reverter a vantagem do Atlético-MG após a vitória por 4 a 0 na ida da final da Copa do Brasil, o técnico Alberto Valentim reforçou que ainda não tem nada definido. O Athletico Paranaense entra em campo nesta quarta-feira para o segundo confronto da decisão, desta vez na Arena da Baixada, às 21h30. O comandante da equipe adotou postura de cautela, mas criticou a atuação do árbitro no Mineirão.

- Na coletiva pós jogo fui sincero e transparente dizendo que dificilmente você consegue reverter a vantagem que o Atlético conseguiu no primeiro jogo. É óbvio para todos. O que vamos trabalhar no treinamento já mostrando vídeos da partida é para vencer. Fazer um jogo para ganhar. Lá no Mineirão na adrenalina eu disse que era difícil, mas não está decidido. Vamos nos preparar, corrigir o que der, por isso o vídeo é importante. Tira dúvidas, reforça as ideias, dá alternativas. Vamos trabalhar para buscar a vitória - disse o treinador.

Quando perguntado sobre a parte emocional, Valentim ressaltou que toda estratégia do Athletico foi prejudicada depois do pênalti marcado a favor do Galo. O atacante Pedro Rocha também criticou o lance na saída do gramado.

- É um time de guerreiros, essa situação toda de desgaste físico e mental é culpa deles mesmos por toda temporada que fizeram até aqui. Foi a equipe que disputou três torneios por mais tempo, que mais jogou na Série A. Não fizemos a partida que precisávamos fazer lá. Nas condições que o Atlético-MG está hoje é preciso fazer um jogo quase perfeito. Precisávamos fazer mais, mas é preciso falar aqui que o pênalti não existiu, isso talvez o Cuca saiba e não vai falar, mas inventaram aquele pênalti. E isso desestrutura sim. Vamos trabalhar o pouco tempo que temos para vencermos - completou.

A partida desta quarta-feira será apitada por Anderson Daronco e o responsável pelo árbitro de vídeo é Daniel Nobre Bins. Os dois já estiveram envolvidos em situações que irritaram o Athletico ao longo da temporada. Valentim não criticou nenhum deles pessoalmente, mas falou sobre a importância de acertar no VAR.

- O Daronco é um bom árbitro. Eu gosto muito do VAR. Ele veio para corrigir os erros. O erro humano de um milésimo, que tem que definir, apitar uma falta ou não, bateu na mão ou não, quando bate de verdade e não de mentira. Veio para minimizar o percentual total de erros. Mas muitas vezes, porque tem um ser humano atrás, acaba não sendo da forma como deveria ser. Não falo só o Athletico -PR, falo de outras jogadas. O VAR tem que existir no futebol. Existe no tênis, no vôlei, na natação, corrida de cavalo. Tem que ter. As vezes a bola não entra ou não bate e vai embora. Isso não é pênalti, é interpretação do árbitro. Tem o ser humano por trás, por isso o VAR tem um índice menor de acerto. Espero que venha para ser justo. O Atlético não precisa de ajuda. Tem um treinador fera, mas não precisa. É só apitar e fazer um jogo certo - comentou.

Em termos de escalação, Valentim tem um problema certo: Thiago Heleno recebeu o terceiro amarelo e está suspenso para a segunda partida. Além disso, Nikão sentiu após sofrer uma forte entrada de Igor Rabello e virou dúvida. O treinador não abriu muito o jogo sobre como irá à campo.

- Não só o Nikão, mas vamos agora minutos antes do treino avaliar os jogadores. Só monto uma equipe depois que todos me derem o aval de 100% recuperados. Já fiz algumas escalações na minha cabeça. Além das possíveis ausências, preciso definir como os atletas estão fisicamente. O Terans, fiquei sabendo que saiu que ele está tomando infiltração no joelho para jogar, é uma mentira enorme. Ele está com zero problema no joelho, zero reclamação, zero tratamento. A única coisa que nos preocupou foi um estado febril, mas ele se recuperou e estava apto a jogar - afirmou.