Pedro Henrique - Athletico-PR

Pedro Henrique, zagueiro do Athletico, durante entrevista coletiva da Copa do Brasil (Foto: Luiza Sá)

Luiza Sá
14/12/2021
17:10
Curitiba (PR)

Assim como o técnico Alberto Valentim, o zagueiro Pedro Henrique também criticou o pênalti marcado a favor do Atlético-MG na vitória por 4 a 0 sobre o Athletico-PR, no confronto de ida da final da Copa do Brasil. Para o jogador, esse lance mudou a história da partida pois acabou com a estratégia do Furacão já no início do jogo. Após jogada de Zaracho, a bola tocou no braço de Léo Cittadaini, algo que foi interpretado como irregularidade pela arbitragem.

- Sem dúvidas pecamos nisso lá, sabemos disso e nos cobramos. Mas como o professor falou, quando se monta uma estratégia de jogo e o juiz marca um pênalti que não existiu, desestrutura a equipe. Sabemos como são qualificados os jogadores do Atlético-MG, mas foi por água abaixo por algo que não existiu. A favor nunca marcam pênalti para nós, procuramos saber há tempos o motivo. O Athletico vem sendo prejudicado. Sabemos que fizemos um jogo abaixo, quando peca assim contra uma equipe qualificada acaba custando caro - afirmou o jogador.

Para não deixar o resultado afetar o time emocionalmente, o defensor afirmou que é preciso deixar para trás o que aconteceu e relembrou como o grupo se comportou após a partida contra o Flamengo.

- Temos que fazer o que fizemos com o Flamengo aqui, quando fomos prejudicados e buscamos o resultado. Tem que entrar com a mesma mentalidade, força mental e não perder a cabeça. Sabemos o resultado de lá, não é nada impossível, mas temos que estar fortes mentalmente e fazer uma boa partida, não deixar o Atlético jogar. Manter nossa característica de jogar firme e ter muita raça e dedicação, esse jogo pede - completou.

Com direito a mosaico, a torcida do Athletico-PR promete uma festa nesta quarta-feira, às 21h30, na partida de volta da decisão da Copa do Brasil. Pedro Henrique projetou o duelo. O Furacão precisa vencer por cinco gols de vantagem ou quatro para levar os pênaltis. 

- Até os 15 minutos, antes de o juiz marcar o pênalti, o Atlético teve uma chance só. É fazer o que fizemos bem na temporada, fizemos isso contra o Flamengo. Vamos fazer um grande jogo e buscar. Sabemos a importância do jogo de amanhã. Nada apaga o que fizemos até agora, somos o time que mais jogou. É fazer um grande jogo, terminar com dignidade do que fizemos. Dar o melhor, é isso que a torcida pede, ter raça, o Athletico merece grandes coisas e ser representado da melhor maneira possível - avaliou.