Lásaro Cândido é o principal nome para ser vice na chapa de Sette Câmara

Lásaro afirmou que não adiantará nada levar um DVD de erros contra o Galo para a CBF- Foto: Beto Novaes/EM/D.A Press

Valinor Conteúdo
25/11/2018
09:10
Belo Horizonte

Não foi só o técnico Levir Culpi que saiu contrariado com a arbitragem de Leandro Pedro Vuaden na derrota do Atlético-MG para o Santos, na noite de sábado, 24 de novembro, na Vila Belmiro.

O vice-presidente do Atlético-MG, Lásaro Cândido da Cunha, pediu a palavra antes mesmo de Levir Culpi dar sua tradicional coletiva pós-jogo. Lásaro disparou contra Vuaden e contra erros, na visão dele, de outras arbitragens que prejudicaram o clube neste reta final de campeonato. O vice do Galo achou estranhas as decisões da arbitragem no jogo, principalmente de um pênalti não marcado para o alvinegro.

- O Santos ganhou. Parabéns ao Santos. Mas nós achamos a arbitragem um pouco estranha, para dizer o mínimo. Para dizer o mínimo. Seja em relação aos critérios que foram adotados. Outro dia nós tivemos um jogo no Independência, contra o Palmeiras, e o senhor Wilton Pereira Sampaio deu um pênalti, que num lance igual no jogo seguinte, ele não deu. Hoje, o senhor Vuaden, no primeiro tempo ele deu quatro minutos. Inexplicavelmente, ele deu quatro minutos. Agora, no segundo tempo, ele deu cinco minutos, sendo que os jogadores para sair de campo gastaram, provavelmente, 40 segundos, no mínimo. No mínimo. Fora as entradas violentas, que o senhor Vuaden não deu. Há também um pênalti claro que ele não deu, então é uma somatória que ele estava estranho. É evidente que todos os clubes estão sendo pressionados, e os erros acontecem. Agora, não vamos aceitar é ser operado. O senhor Vuaden, ou ele melhora os seus critérios, ou ele não sabe, ou ele tem que passar por processo de reciclagem, ou há coisas estranhas no ar, disse o dirigente.

Mesmo contrariado com a arbitragem, o vice-presidente do Galo não vai levar seu desabafo em forma de protesto oficial do clube para a CBF. De acordo com Lásaro, a confederação não se mobilizou sobre outras reclamações do clube na entidade máxima do futebol nacional.

- Não resolve, nós vamos mandar para a CBF e não vai resolver nada, como nós já fizemos. Não adiantará nada. Mas a CBF precisa saber que tem de melhorar essa arbitragem. Não é árbitro de vídeo que vai resolver essa incompetência, na melhor das hipóteses. È isso que nós temos a declarar, concluiu.

O Atlético-MG terá o domingo e a segunda-feira e folga e, na terça-feira, dia 27 de novembro, inicia sua preparação para o último e decisivo jogo da temporada contra o Botafogo, no domingo, dia 2 de dezembro, no Independência.