Nacional URU x Atlético MG

Luan Correu muito mais uma vez, mas o time não tinha organização tática em campo para se impor sobre o Nacional-URU- Bruno Cantini / Atlético

Valinor Conteúdo
13/03/2019
00:01
Belo Horizonte

Um time previsível e sem criatividade no ataque. Esse foi o resumo do Atlético-MG no jogo diante do Nacional-URU, em que foi derrotado pela equipe uruguaia por 1 a 0, gol de Bergessio, no segundo tempo.

O Galo se mostrou muito ineficiente do meio para frente e na única falha do setor defensivo, levou o gol, quando Igor Rabello perdeu a jogada com o atacante do Nacional. O esquema de três volantes se mostra pouco eficaz se o time precisa buscar o gol com mais velocidade.

Para o capitão Réver, a equipe teve seus momentos, mas também faltou sorte em alguns lances, que poderiam deixar a história do jogo diferente. O zagueiro lamentou a derrota, mas admitiu que a situação atleticana em termos de classificação ficou complicada e a próxima partida do alvinegro na Libertadores, diante do Zamora, no Mineirão, no dia 3 de março, no Mineirão.

-Acho que não é nem que deixamos de agredir. A equipe adversária teve uma oportunidade e fez o gol. Na verdade, está faltando também um pouco de sorte. A gente cria e não consegue fazer o gol. A equipe adversária cria uma chance e faz o gol. Nem tudo está perdido, mas precisamos acordar. Acho que a equipe se comportou bem, mas não conseguiu vencer. Claro que fica complicado. Dois jogos, duas derrotas, isso dificulta o planejamento. Agora é pensar no próximo jogo, em casa, quando não teremos outro resultado a não ser a vitória - disse o capitão em entrevista à Fox Sports.

Neste momento, o Galo terá de trabalhar para garantir pelo menos a segunda vaga do Grupo E, pois o Nacional abriu seis pontos de vantagem sobre o time brasileiro e ainda terá de torcer para que Cerro Porteño-PAR e Zamora-VEN, que se enfrentam nesta quarta-feira, 13 de março, em Assunção, fiquem pelo menos num empate, para que Galo não perca de vista os rivais do grupo.