Maicon Bolt vem sendo elogiado pelas boas atuações desde que chegou ao Galo

Bolt deixou pouca saudade no Galo, com poucos jogos e gols no período em que atuou pelo clube mineiro-(Bruno Cantini/Atlético-MG)

Valinor Conteúdo
31/08/2020
18:45
Belo Horizonte

O Atlético-MG foi condenado a pagar R$ 14.203.514,76 ao atacante Maicon Bolt, que deixou o clube no início do ano e moveu uma ação contra o clube.

O alvinegro já sabe da sentença, apesar dela ainda não ter sido publicada e terá oito dias para recorrer da decisão assim que for notificado. Um perito refez os cálculos e anexou ao processo de Bolt contra o Galo.

O Atlético considera que houve equívocos do juiz na sentença deferida e irá recorrer no caso.

Ao saber que foi dispensado pelo Atlético-MG, no início do ano, Bolt resolveu acionar o Galo na Justiça do Trabalho. O jogador solicitou a rescisão indireta com o clube e cobrou valores que teria direito do contrato que iria até o fim de 2021.

A pedida inicial, de R$ 12 milhões, subiu para R$ 20 milhões e foi sentenciada em cerca de R$ 14 milhões.

Bolt cobra do alvinegro salários atrasados, luvas na assinatura do contrato, direitos de imagem e trabalhistas, pois alega que o clube seria obrigado a cumprir o vínculo. O Galo, porém diz que o acordo entre jogador e clube se encerraria em 2020.

Maicon Bolt, revelado pelo Fluminense, foi contratado pelo Atlético em janeiro de 2019. Ele estava livre, com passagens pelo Lokomotiv-RUS e Antalyaspor-TUR. Em 28 jogos, marcou dois gols e deu cinco assistências, mas sem desempenhos regulares, ficou de fora dos planos dos treinadores que chegavam ao clube, incluíndo Jorge Sampaoli, em 2020. Ele recebia cerca de 100 mil euros(R$ 476 mil) e não correspondeu a expectativa criada sobre seu futebol.