Valinor Conteúdo
29/03/2019
17:46
Belo Horizonte

O Atlético-MG lançou o clipe da música “Contra o Vento”feita para o aniversário do clube, de 111 anos. O clube reuniu grandes nomes do rap nacional no Estúdio Giffoni, em Belo Horizonte, com foco na produção da uma música comemorativa, que agora está disponível para os torcedores.

Foi um projeto que reuniu expoentes do ritmo, como Djonga, Chris, Hot, FBC, Thiago SKP, Vuks, Clara Lima, Froid e Felipe Arco, com produção de EazyCDA e Coyote Beatz. Assista o vídeo acima. 

Confira a letra de “Contra o Vento”.

Sempre viajei na ideia do "uma vez até morrer". Logo a vida que é tão inconstante, volúvel e que muda o tempo todo, nela existe uma coisa que de certa forma permanece intacta: o Galo.

Nunca saiu da minha cabeça o fato de que ninguém se torna atleticano, se nasce. É um privilégio sinistro carregar essa paixão alvinegra no peito esquerdo desde menino, chega a ser inexplicável.

"Uma vez até morrer". E quando enfim chegar esse dia, quero meu caixão pintando em preto e branco, a cor do meu coração, porque eu sei que tudo passa, mas o Galo, o Galo não, o Galo é pra sempre.

É o time da virada
É o grito do povo alvinegro, mineiro. Uai, sô
Do Galão da Massa que grita bem alto na arquibancada
Nossa organizada lota os estádios de norte ao sul
Não importa onde for, nós tocamos o terror
Se tem Galo eu vou agitar a nossa parada

É o time da virada
Da favela, da rua de terra, do preto e do branco, do patrão, do empregado, é o Galão da Massa

Meu pai me ensinou, eu não troco por nada
É o time da virada
Mesmo fora de casa
Até contra o vento
Torceremos por nada
Por amor à bandeira
Por amor à família
Galo eu amo você, amo essa camisa

É o time da virada
Clube Atlético Mineiro
Pela fé e pelo grito da massa
Em qualquer lugar que o coração pulsa
Por nós jogaremos em casa

Time de multidões
Por amor a camisa
Espírito guerreiro
Ficaremos sem voz

Nosso grito não se economiza
Ô Galo
Só na força do grito
1% de chance

O estádio lotado gritando "eu acredito", gritando "eu acredito"
Caiu no horto, eles sabem, está morto
Nosso time aumenta a frequência
Apaga as luzes, nossa estrela brilha
Nem o estádio aguenta a potência

Por amor à camisa que pese e as lágrimas que molham o manto
Entra jogador, sai torcedor
Uma história e tanto
Nossa torcida apaixonada

O mar alvinegro é nossa arquibancada
Gritaremos por ti e não trocaremos por nada
Se quer flow

Chama para jogar, pode acreditar vai dar gol, é certo
Tipo Reinaldo e Bernard, Marques e Dadá, ataque completo
Deixa a massa levar, feliz de cantar e só de estar perto
Faz qualquer jogo mudar (qualquer jogo mudar)

Chamam nós de cachorro, é porque nós só enxerga preto e branco
A fé no santo
Nós é Galo em todo canto e veste o manto
Meu bonde unido é Ronaldinho driblando, ninguém segura
Atleticano batizado Galoucura

REFRÃO
Amigo, o Galo é doido
Das batalhas sofridas
É torcer contra o vento, louco
Nego, é o maior de Minas, que treme o estado todo
Mano, somos sinistros
Somos Galoucura, doutor
É o gigante do Horto
Amigo, o Galo é doido (2x)

Essa daqui serve como recado pro vento
Eu acredito que as coisas mudam em poucos minutos
Eu vi gente que não se falava há muito tempo
Comemorando gol, voltando pra casa junto
É mais que futebol
Reconstrução social

Arquibancada preta e branca, todo mundo igual
Jogadores vêm, jogadores vão, mas eu permaneço firme
Retroceder destrói identidade

Acumulo cicatrizes, meu corpo é um museu
As galerias deixam claro que o vento perdeu
Aproveitando essa data de destaque

Não destruam campos
Senão, nas ruas, cada vez vai ter mais crack
2013, uma nação de joelhos pedindo liberdade ao único que tem a chave
Ele ouviu, ela chegou
Libertador

Eu estava lá quando a bola bateu naquela trave
Honrar a camisa é o trampo
No campo que o meu olho brilha
Minha caneta nem chama Dadá, mas quando escreve é uma maravilha
Preto no branco nas quatro linhas

Façam valer o ingresso para o show
Aqui não existe gol feio criança, o feio é não fazer gol
Não vem de garfo que é dia de sopa
Se for de primeira vai seco no corte
Deixa que a gente escreve a história
Independência é morte

Pensei no campo de terra, mas foi no gramado que a bola rolou
Se tem chance eu acredito, tem que ser forte e vingador
Salve Maluf, meu muito obrigado, eu assisti o estádio de luto
Vi que a vida é buscar a virada num jogo difícil, faltando um minuto
Vou pro estádio assistir, hoje o time vai jogar
Almas vão aplaudir, e os gritos vão empurrar

Mágica do futebol: eu vi poesia no pé de um bruxo
Rabisca com sua caneta, escreve na história: Ronaldo Gaúcho
Tudo muda num segundo, então aproveita sua chance
Tipo o Victor no penal, fazendo a defesa no último lance

REFRÃO
Amigo, o Galo é doido
Das batalhas sofridas
É torcer contra o vento, louco
Nego, é o maior de Minas, que treme o estado todo
Mano, somos sinistros
Somos Galoucura, doutor

É o gigante do Horto
Amigo, o Galo é doido (2x)
Clube Atlético Mineiro, Galo forte e vingador
Desde 1908
Disciplina, esporte e amor

Melhor de Minas o primeiro, o maior campeão Mineiro
Campeonato Brasileiro, tem
Recopa Sulamericana e Copa do Brasil também
Sem esquecer Libertadores
Mano, nem vem que nóis tem raça
Mais de 100 anos na praça
Botando raposa pra correr da Massa

São Victor no gol não passa
Nóis domina na área, é caixa
É que preto e branco pra quem não acredita é ameaça
Independência tamo em casa não é pouco
Caiu no horto tá morto, caiu no horto é pow
O meu pivete já torce pro Galo

O filho do meu pivete vai torcer pro Galão
Se ouvir quebrar um copo a gente grita Galo
Se estourar foguete a gente grita Galo
Do estacionamento eu tô sentindo o calor

Eu já vesti o manto. Bica eles Galo
A bateria tá aquecendo, tá batendo o tambor
Começou o jogo, é, vai pra cima deles Galo
O meio de campo bota a bola no pé
É sério porque é Galo, e todo clássico aqui vale troféu
R10 distribuía chapéu

Só um canta de Galo e tem massacre hoje depois da novela
Raça como o Galo de 2013
Raça muda, uma dúzia vira 300
11 jogadores e a camisa 12 (é a Massa)
Faz muito barulho pro inimigo tremer

Vencer
O meu pivete já torce pro Galo
O filho do meu pivete vai torcer pro Galão
Se ouvir quebrar um copo a gente grita Galo
Se estourar foguete a gente grita Galo

REFRÃO
Amigo, o Galo é doido
Das batalhas sofridas
É torcer contra o vento, louco
Nego, é o maior de Minas, que treme o estado todo
Mano, somos sinistros
Somos Galoucura, doutor
É o gigante do Horto
Amigo, o Galo é doido. (2x)