O VAR estreou no futebol mineiro nas semifinais do Estadual e ja gerou polêmica

O VAR estreou no futebol mineiro nas semifinais do Estadual e ja gerou polêmica- Reprodução/Premirere

Valinor Conteúdo
08/04/2019
16:03
Belo Horizonte

O maior gerador de polêmicas das semifinais do Campeonato Mineiro não chuta uma bola, ou escala um time. Mas, suas decisões podem alterar o placar de uma partida de futebol. O VAR( sistema auxiliar da arbitragem por vídeo) teve papel decisivo nos jogos entre Atlético-MG x Boa Esporte e Cruzeiro e América-MG.

Nas duas partidas entre o Galo e a equipe de Varginha, o VAR anulou três gols atleticanos, decisões acertadas por sinal, No clássico entre Coelho e Raposa, a presença do sistema foi notada no segundo jogo quando anulou o gol de Felipe Azevedo por um toque de mão na bola antes do arremate para o gol, fato que o próprio jogador admitiu posteriormente ter colocado a mão na bola.


Apesar da efetividade do sistema, a demora na tomada de decisões chamou a atenção, gerando críticas às constantes paralisações do jogo para que os lances sejam verificados. Em um lance de Galo e Boa, a decisão do VAR sobre a anulação de um gol de Luan levou mais de sete minutos com o jogo paralisado.

Para o presidente da comissão de arbitragem da Federação Mineira de Futebol (FMF), Giuliano Bozzano, as paradas que revisam os lances são consideradas normais pelo ex-árbitro. Bozzano se justifica afirmando que os árbitros ainda estão tendo um primeiro contato com a tecnologia e haverá um tempo para adaptações no uso da ferramenta.

-O VAR é algo novo no mundo inteiro. Os árbitros estão treinados, e a filosofia é ''mínima interferência e máximo beneficio". Nós treinamos para que as intervenções sejam as mais rápidas possíveis. Com certeza, não é o tempo ideal, o tempo que se espera, mas está sendo aprimorado- disse.

Bozzano reiterou que a dinâmica do VAR será melhorada com o passar do tempo e reforça a defesa do uso da tecnologia no futebol.

- À medida que os árbitros estiverem mais íntimos do equipamento, as decisões serão mais dinâmicas. Relembrando que quando há uma checagem do VAR, não se revisa apenas a último lance, ele checa o início da jogada. Ele tem que voltar ainda mais, além do final, para ver se houve alguma infração na origem. Então, nós estamos tentando diminuir este tempo. Apesar de alguns momentos o tempo ser excessivo, o benefício que o VAR traz é imensurável-concluiu.