Palmeiras x Atlético-MG

O Galo terá de fazer prevalecer o fator casa para vencer o líder Palmeiras. No turno, o alviverde venceu por 3 a 2- Marcelo Machado de Melo/Fotoarena

Valinor Conteúdo
10/11/2018
17:41
Belo Horizonte

O Atlético-MG pode pagar caro pela sequência ruim que vive neste momento do Campeonato Brasileiro. Sem vencer há cinco jogos, o time, que está no G-6 desde a 10ª rodada e chegou até à vice-liderança da competição, estacionou na sexta colocação, com 46 pontos, e, agora, vê a vaga na Libertadores do ano que vem muito ameaçada. Santos, com a mesma pontuação do Galo, e Atlético-PR, com 43, são os principais concorrentes.


O matemático Tristão Garcia, do site Infobola.com, em contato com o GloboEsporte.com, afirma que, pela projeção atual do Brasileirão, uma equipe precisa somar 59 pontos para se garantir entre os seis primeiros colocados.


O capitão Leonardo Silva admite que o elenco alvinegro já faz essas contas. Ele mira uma vitória diante do líder, no domingo, para melhorar o cenário em busca da classificação.

- Tudo se complementa. Fizemos essa conta, sim, conversamos internamente sobre o número de pontos que precisamos fazer para nos mantermos nessa posição ou até mais. Mas é jogo a jogo que se define. Passando o Palmeiras, você já diminui sua média, ou tem que vencer mais jogos. Partindo do jogo do Palmeiras e pensando em 12 pontos, precisamos vencer quatro partidas. Tudo se complementa. A gente faz o cálculo total, mas cada jogo define o próximo. Temos que vencer o Palmeiras, pontuar bem para que a gente consiga pensar nos próximos jogos e para que isso se complemente mais à frente.

Ainda de acordo com Tristão Garcia, o Atlético-MG tem 31% de chances de ir à Libertadores no ano que vem. Santos, com 38%; Grêmio, São Paulo, Flamengo e Inter, com 99%; e Palmeiras, com 100%, estão à frente do Galo neste ranking de probabilidades. O matemático considera, ainda, que Cruzeiro, Atlético-PR, Fluminense e Bahia têm chances de chegarem ao G-6 (veja na tabela abaixo). Vale lembrar que o Cruzeiro já está classificado para a Libertadores, então, caso termine a Série A entre os seis primeiros, o torneio passará a ter G-7.

Caso o rival local do Atlético-MG chegue entre os primeiros e o Brasileirão passe a ter G-7, Tristão acredita que a soma de 58 pontos será suficiente para levar o time à Taça Libertadores de 2019. Nesta situação hipotética, o Galo precisaria de aproveitamento de 66,66% nas seis rodadas finais da competição. Veja, abaixo, o caminho do time atleticano no Campeonato.