Bárbara Seixas e Fernanda Berti

Fernando Berti, o técnico Rico e a medalhista olímpica Bárbara Seixas (Foto: Divulgação)

LANCE!
27/09/2016
15:22
Rio de Janeiro

A mais nova dupla do vôlei de praia brasileiro, formada por Bárbara Seixas e Fernanda Berti, já trabalha pensando em Tóquio-2020. Apresentada nesta terça-feira, no Rio de Janeiro, a parceria foi firmada com o foco no próximo ciclo olímpico e não quer perder tempo.

Para jogar com Fernanda, Bárbara, de 29 anos, decidiu encerrar sua dupla com Ágatha, com quem ganhou a medalha de prata nas Olimpíadas Rio-2016. Segundo a carioca, a escolha foi muito bem pensada.

- Não foi uma decisão fácil, foram seis anos jogando com a Ágatha e sempre nos demos muito bem, tanto dentro quando fora da quadra. Mas conversei com a comissão técnica e chegamos à conclusão de que era hora de buscar algo diferente, que me desafiasse, me motivasse e me fizesse ter uma outra visão. Vejo isso na Fernanda e estamos muito aninadas para um projeto a longo prazo - comenta a canhota, campeã mundial em 2015.

Fernanda, que operou o ombro direito em 2015, conta que desde que ficou sem parceira sempre teve Bárbara como sua principal opção. O acerto acabou acontecendo logo após as Olimpíadas.

- Como adversária, sempre admirei muito a Bárbara e o trabalho que é desenvolvido pela equipe dela. Torci muito por eles na Olimpíada e agora está sendo incrível estar junto com eles. Em poucos dias, já deu para sentir a diferença. Vejo que estou no caminho certo para as Olimpíadas, que são o meu grande sonho desde a época em que jogava vôlei de quadra - conta a atleta de 31 anos e 1,89m, que foi campeã mundial juvenil de vôlei.

A estreia da dupla está marcada para a segunda etapa do Circuito Brasileiro, que acontece entre os 14 e 16 de outubro, em Brasília (DF). Segundo o técnico da dupla, Rico de Freitas, será a primeira oportunidade de vislumbrar onde a dupla pode chegar.

- São duas grandes jogadoras e nosso desafio é fazer com que formem um grande time na hora certa. Talento é fundamental, mas não se vence no esporte sem planejamento. É uma estrada longa, com muitas barreiras no caminho, e vamos trabalhar muito para alcançar nossos objetivos - disse o técnico.