Alcides010

Alcides Morales era o treinador com maior número de vitórias em atividade na Gávea (Divulgação JCB)

Rafael Cavalcanti
26/11/2016
16:27

O turfe carioca amanheceu hoje com uma de suas mais tristes histórias, o falecimento, aos 88 anos, do treinador Alcides Morales, que lutava com problemas pulmonares e estava internado há alguns dias para uma pequena cirurgia na coluna. O segundo maior ganhador de todos os tempos, atrás somente do saudoso Ernani de Freitas, deixa para trás uma história de sucesso de mais de 70 anos de atividade, e uma legião de fãs, pelo talento inegável com os PSI e uma qualidade ímpar de conquistar amigos.

Matrícula no Jockey Club Brasileiro desde 1948, ganhador de cerca de 2.874 vitórias na Gávea, Seu Alcides até bem pouco tempo era visto nos matinais da Gávea, com sua bengala, às 4h30m, uma rotina que o acompanhou durante décadas. Teve de se render há cerca de um ano para se tratar de complicações respiratórias.

Amigo de décadas, o hipólogo Milton Lodi comentou que até ontem Parrudo, como era conhecido, aparentava total recuperação da cirurgia. Tanto que, mesmo no hospital, acompanhou a corrida de Grande Amorales, pensionista que levava seu nome nos programas.

“Além de um grande amigo era uma pessoa franca acima de tudo, mesmo quando sabia que não iria me agradar. Deixará muitas saudades”, comentou Padial.

Entre as vitórias, boa parte delas conquistadas defendendo a tradicional farda do Haras Santa Ana do Rio Grande, destaque para dois GP Brasil (Anilité e Bowling), e clássicos levantados por Asola, Bat Masterson e Mensageiro Alado, entre outros.

Descanse em paz, Seu Alcides, Grande A Morales, o turfe agradece.