Pintado

Ex-volante Pintado, atual técnico do Guarani (Foto: Miguel Schincariol/Lancepress!)

Fábio Suzuki e Marcio Porto
31/03/2016
13:10
São Paulo (SP)

O São Paulo ainda adota cautela, tenta fazer sigilo, mas está perto de definir a contratação do ex-volante Pintado para trabalhar no CT da Barra Funda. Nas últimas conversas, os dirigentes praticamente chegaram ao consenso de que o ídolo do clube é o nome ideal para assumir a função de, entre outras coisas, dar um "chacoalhão" no elenco comandado pelo técnico Edgardo Bauza.

Nesta quinta-feira, o São Paulo foi anfitrião de uma reunião de 32 dos principais clubes sul-americanos e a diretoria aproveitou para avançar no assunto. O diretor de futebol Luiz Cunha chegou de viagem de São José do Rio Preto, onde o time empatou por 1 a 1 com o Linense na última quarta, e se dirigiu ao Morumbi apenas para tratar do tema e definir os últimos detalhes antes do anúncio. A cúpula trabalhava com outros nomes.

- Ontem, neguei categoricamente que o Pintado estava contratado. Hoje, já não nego tanto - afirmou Cunha, questionado pelo LANCE! sobre a vinda de Pintado para trabalhar no futebol.

Cunha não quis confirmar a contratação do ainda técnico do Guarani e disse que esperava um "ok" do presidente Carlos Augusto de Barros e Silva. Saiu com a resposta positiva.

O cargo que Pintado vai ocupar no CT, porém, ainda é um mistério. A diretoria fala apenas em um profissional para trabalhar no local e ser um elo entre diretoria, comissão técnica e jogadores. Não será, por exemplo, um analista de desempenho e contratações, como era o último cargo de Milton Cruz, demitido na semana passada após 22 anos de clube. Fica mais próximo de um gerente, mas o São Paulo evita dar detalhes sobre a função.

Pintado tem uma história vitoriosa no São Paulo como jogador e nunca escondeu que seu sonho era um dia voltar a trabalhar no clube. Ele foi bicampeão da Libertadores, em 1992 e 93, e Mundial, em 92, como um dos líderes do time comandado por Telê Santana. O ex-volante já tem acordo com o Guarani para deixar o cargo de técnico tão logo os últimos detalhes com o Tricolor sejam sacramentados.