Marcio Porto
24/08/2016
21:51
São Paulo (SP)

A medalha de ouro conquistada pelo zagueiro Rodrigo Caio na Olimpíada do Rio de Janeiro deixou o São Paulo orgulhoso. Um conselheiro sugeriu a ideia de o clube incluir uma terceira estrela dourada no escudo para homenagear a conquista e o assunto pode ser discutido no Conselho Deliberativo, admitiu nesta quarta-feira o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva.

O São Paulo já possui duas estrelas douradas em seu escudo, mais três vermelhas, número de títulos mundiais do clube. As duas douradas são por conta de recordes quebrados pelo ex-atleta Adhemar Ferreira da Silva, em 1952 (olímpico e mundial, nas Olimpíadas de Hensinque) e em 1955 (mundial, alcançado nos Jogos Panamericanos do México) no salto em distância. Ele era atleta do Tricolor na época das conquistas.

O assunto ainda é tratado com muita cautela, está longe de ter uma definição, mas o presidente Leco admite que pode ser apreciada no Conselho. O conselheiro que sugeriu a ideia foi José Alfredo Madeira Simões, de acordo com Leco.


Rodrigo Caio tem 23 anos e está há 11 no São Paulo. Toda sua formação, portanto, foi feita no clube, no Centro de Formação Laudo Natel, em Cotia. Ele subiu ao profissional em 2011 e conquistou a Copa Sul-Americana de 2012. Foi titular em toda campanha do ouro inédito da Seleção Brasileira, que sofreu apenas um gol, na final para a Alemanha.

A trajetória do zagueiro no Tricolor, no entanto, está perto de ser interrompida. Isso porque ele já pediu à diretoria para ser negociado e interessa a clubes como Lazio (ITA) e Sevilla. Também nesta quarta, o presidente Leco disse que o pedido do jogador precisa ser analisado. O São Paulo venderá o jogador em caso de proposta que considere vantajosa. Rodrigo está na Itália, onde foi tirar passaporte europeu, após ser liberado pelo clube.