Kelvin - Sao Paulo

Atacante Kelvin, em treino do São Paulo (Foto: Érico Leonan/saopaulofc.net)

LANCE!
03/10/2016
12:37
São Paulo (SP)

O ataque do São Paulo não marca gol há três jogos no Campeonato Brasileiro, e isso pode pesar no futuro dos jogadores. O atacante Kelvin, que está emprestado até o fim do ano, acredita que a renovação pode ser prejudicada pela má fase do time e do setor. Ele já afirmou que quer permanecer, mas não sabe se isso será possível.

- Ninguém falou comigo ainda, mas pode prejudicar, sim, uma renovação. Por isso todo mundo está se esforçando para que as coisas se resolvam. Não só eu como todo jogador, mas ninguém está pensando em si, estamos pensando no São Paulo. É normal - afirmou o camisa 30, que se defendeu sobre o fato de ter marcado apenas três gols em 37 jogos pelo Tricolor.

- Sim, tenho bastante jogos esse ano, tenho apenas três gols. Não sou um jogador que faz gol todo o jogo, como o Chavez. Sou de jogadas mais laterais, que procura fazer jogadas para sair gols, e se for ver, puder participar de muitos gols, algumas assistências. Temos de pensar em ajudar o time da melhor forma, não só com gols, como com jogadas - disse.


Kelvin está emprestado pelo Porto (POR) até dezembro. Este ano, o São Paulo já precisou negociar com os portugueses a compra do zagueiro Maicon, em tratativa complicada. Agora, ainda não indiciou se já abriu conversas, embora já tenha dito que o planejamento para 2017 foi iniciado.

Em o futuro incerto, Kelvin tenta pensar no momento, que não é bom. O São Paulo tem 35 pontos no Campeonato Brasileiro, apenas quatro acima da zona do rebaixamento. E o atacante projeta dez finais até o desfecho da competição. A primeira é na próxima quarta-feira, contra o Sport, que soma 33 pontos na tabela. Adversário direto.

- Agora são finais. Não só contra o Sport mas contra as outras equipes também. São outras finais. Temos de pensar jogo a jogo, para que o São Paulo vença e saia dessa situação - disse.

- É chato. Porque o São Paulo é um grande clube, de sua história. Temos de pensar nisso. Em casa eu fico pensando, que tivemos bons momentos na Libertadores, colocamos o São Paulo lá em cima, onde ele merecia estar. Era um clube de alto nível. E a gente para e pensa, que poderia colocar o São Paulo lá em cima. Aí não é só em campo que fica a pressão, em casa é chato - completou.

Curioso é que o São Paulo pode ter ganho um fôlego para a reta final, com a abertura de mais duas vagas na Libertadores. Atualmente, o sexto colocado, que é o Atlético-PR, tem sete pontos acima. E ainda pode ser um G7, se o vencedor da Copa do Brasil estiver entre os primeiros. Neste caso, seria o Corinthians, com 41 pontos, seis acima do Tricolor.

- Dependendo podemos estar incluídos. É pensamento de jogo a jogo e se no fim tivermos essa oportunidade, buscar também essa vaga na Libertadores - disse Kelvin.