Osorio
Marcio Porto
20/11/2015
00:16
São Paulo (SP)

A torcida do São Paulo foi reforçada ontem por um visitante ilustre nas cativas do Morumbi. O técnico Juan Carlos Osorio, comandante do time em quatro meses nesta temporada e agora à frente da seleção mexicana, compareceu ao estádio, vibrou muito com a virada tricolor e ainda prometeu voltar ao clube.

– É diferente (ficar na arquibancada), mas eu gosto muito de assistir futebol. E com a família é muito melhor. Acho que, como eu falei em minha última coletiva, se algum dia voltar ao Brasil, seguramente será para o São Paulo. Felizmente fizemos um bom trabalho e creio que a torcida aprecia isso. Creio que se tivesse o time todo para disputar o primeiro lugar, nunca teria cogitado partir ou deixar o São Paulo – destacou, com crítica ao ex-presidente Carlos Miguel Aidar pelo desmanche do elenco.

Osorio fez dois jogos com o México nas Eliminatórias da Concacaf para a Copa do Mundo de 2018, venceu ambos e não sofreu nenhum gol. Apesar dos compromissos por lá, incluindo um resultado histórico para os mexicanos diante de Honduras na última segunda-feira, o técnico garante que segue de olho na campanha do amigo Milton Cruz.

– Estou com muita saudade. Minha família mora no Brasil, meus filhos estão na escola e sempre fizemos planos para ficar aqui em São Paulo. Infelizmente decidimos outra coisa, mas tenho que ficar feliz. É meu novo trabalho e agora estou torcendo por Milton, pelos atletas e pelo clube para chegar à Libertadores – projetou, antes de prosseguir:

'É meu novo trabalho e agora estou torcendo por Milton, pelos atletas e pelo clube para chegar à Libertadores'

- O jogo em Honduras foi muito difícil, às 15h, muito quente, úmido... Fazia 50 anos que México não ganhava na cidade onde foi o jogo e 22 anos em Honduras. Foi um bom jogo, um bom resultado para continuar com o objetivo final que é a classificação ao Mundial - exaltou o Lorde.

O treinador colombiano estava acompanhado da esposa Juliet e de seu auxiliar técnico Luiz Pompilio. A saída do São Paulo foi consumada em 6 de outubro, após divergências com a antiga diretoria e uma proposta tentadora para conduzir o México à Copa do Mundo de 2018. Foram 28 jogos no Tricolor, com 12 vitórias, sete empates e nove derrotas.