Copa do Brasil sub20 - AtleticoPR x São Paulo (foto:Geraldo Bubniak/AGB)

O capitão Banguelê comemora o gol marcado ao lado do zagueiro Tormena e Joanderson (Foto:Geraldo Bubniak/AGB)

Bruno Grossi
19/11/2015
18:01
São Paulo (SP)

A final da Copa do Brasil Sub-20 teve início na tarde desta quinta-feira em Curitiba. E os garotos do São Paulo mostraram alguns ensinamentos para o time profissional. Vencer o Atlético-PR na Arena da Baixada e apresentar maturidade em uma decisão foram os principais exemplos dados pelo time do técnico André Jardine, que aplicou 2 a 0 no primeiro confronto da final.

Desde os primeiros minutos, o Tricolor foi muito mais consciente de seus objetivos. Como se jogasse em casa, a equipe paulista trocava passes desde a defesa e chegava com rapidez ao ataque. O meia Lucas Fernandes e o atacante David Neres, grandes destaques da campanha até a decisão, controlavam as ações pelo lado direito e fizeram com que o São Paulo pressionasse os rubro-negros.

O Furacão conseguiu responder em alguns lances de velocidade dos meias André e Bruno Rodrigues, que assustou em bicicleta de fora da área. A postura são-paulina, no entanto, se mantinha firme, com posse de bola e paciência para atacar. Pior para os paranaenses, em ótimo número na Arena da Baixada, que saíram atrás no placar já no fim do primeiro tempo.

Aos 42 minutos do primeiro tempo, o lateral-esquerdo Inácio cobrou escanteio pela esquera e mandou a bola no segundo poste. Sem nenhuma marcação, o volante e capitão Banguelê cabeceou para o chão e viu a bola morrer no fundo do gol de Warleson, que só pôde lamentar. A vantagem no placar fez com que o São Paulo ganhasse ainda mais moral para seguir dominando a partida no segundo tempo, enquanto os atleticanos passaram a errar pelo excesso de ansiedade.

Quando o Furacão parecia ter colocado os nervos no lugar e o Tricolor já sofria para manter o ritmo intenso no ataque, André Jardine lançou Murilo na vaga de Lucas Fernandes. O atacante, lançado por Juan Carlos Osorio no time profissional e que desceu apenas para as finais da Copa do Brasil, entrou inspirado. Em seu primeiro lance, recebeu sozinho pela esquerda, invadiu a área e perdeu chance clara. Já aos 38 minutos, mais uma vez disparou pela esquerda, mas desta vez driblou Warleson com facilidade e correu para celebrar a vitória.

O triunfo significou muito para o sub-20 do São Paulo. Enquanto o profissional nunca venceu o Atlético-PR na Arena da Baixada em toda história (15 jogos, com dez derrotas), os garotos ganharam com autoridade nesta quinta-feira. O resultado deixa os paulistas muito confortáveis para o segundo jogo da final, marcado para as 16h da próxima terça-feira no Morumbi.