Apresentação de Maicon pelo São Paulo

O zagueiro Maicon, capitão do São Paulo (Foto: Maurício Rummens/Fotoarena/Lancepress!)

Marcio Porto
26/08/2016
13:19
São Paulo (SP)

O zagueiro e capitão Maicon falou de maneira contundente sobre o mau momento do São Paulo nesta sexta-feira, no CT da Barra Funda. Um dos jogadores mais experientes do elenco, Maicon negou que haja problema de relacionamento no grupo apesar de admitir que houve uma conversa para lavar a roupa suja e exterminar os problemas que impedem o time de ter bons resultados.

- Nós nos damos bem. Se fosse problema disso (relacionamento), era muito mais fácil, era só podar o companheiro que não é bom. Se fosse isso era mais fácil de limar. Nosso problema é outro. Dentro do campo, precisamos nos doar mais, e melhorar dentro de campo - analisou o camisa 27.

Maicon falou sobre a reunião de quinta-feira, um dia após a derrota de 2 a 1 para o Juventude, pela Copa do Brasil, no Morumbi. Os jogadores conversaram com os dirigentes e depois só entre eles para aparar as arestas.

- As coisas internas já foram resolvidas entre diretoria e jogador, entre jogador e jogador. A gente sabe que a gente tem condições de sair dessa situação. A gente tem plantel forte, demonstramos na Libertadores e no início do Brasileiro, até mesmo no Paulista, que sempre tivemos poder de superação. As coisas já foram resolvidas, agora cabe a nós nos unirmos ainda mais - disse Maicon.

- São coisas internas, a gente resolve isso em casa. A gente tem que resolver a roupa suja em casa. Estamos cientes do que podemos dar, da nossa qualidade, sei o que posso dar mais, o Wesley, Lugano, Michel, Lyanco, que é jovem, falta a gente se entregar um pouco mais pelo São Paulo, se doar mais. Se não for na técnica vai na raça para reverter essa situação.

O São Paulo está na 11ª colocação do Campeonato Brasileiro, com 27 pontos ganhos. Na Copa do Brasil, com a derrota na ida, o time terá de reverter o placar de 2 a 1 em Caxias do Sul, no próximo dia 21 de setembro. Após o jogo de quarta-feira, Maicon pediu intervenção da diretoria, enquanto o técnico Ricardo Gomes reforçou que não via problemas de grupo, apenas no campo.


Confira outros trechos da entrevista de Maicon:


Qual era o peso dos problemas nesse momento?
As coisas foram resolvidas no vestiário porque quando você não tem bons resultados as cobranças são maiores, e quando o resultado não vem, a cobrança é ainda maior. A gente tem jogadores de altíssimo nível como já realcei. Agora é dar a cara pra bater, mostrar ainda mais caráter, saber que pode dar mais, eu sei que posso dar mais. Temos um plantel forte, pode não ser para ser campeão agora, mas não é para estar onde estar. Temos de sair dessa situação, nos incomoda, não está acostumado a viver. Tenho certeza de que trabalhando, vamos sair dessa posição.

Havia problema de salário?
Meu salário está em dia, caindo direitinho. Mas claro que uma conversa só no vestiário, com o presidente, não resolve os problemas. Se perder domingo, teremos novos problemas. Então tem que ser dentro de campo, nas quatro linhas. Não tem desculpa de salário, a diretoria tem correspondido para darmos ao nosso melhor. Não tem nada disso, está faltando um pouco mais de vontade nossa, não só minha, mas de todo elenco.

O elenco é tecnicamente fraco?
Não. Se fosse fraco não teria chegado numa semifinal de uma Libertadores, como tinham outras equipes brasileiras, que se diziam forte e não passaram nem da primeira fase. Temos elenco de bastante qualidade. Claro que quando as coisas não correspondem no campo, a cobrança é maior. O espírito não é o mesmo da Libertadores. Temos de focar mais no Brasileiro para sairmos dessa situação. Já passamos na Libertadores, agora é presente, se unir ainda mais, fortalecer, um ajudando o outro para sair.

Se vencer os dois próximos jogos, os problemas estarão resolvidos?
Se a gente conseguir sair dessa situação, chegar no G4, um dos nossos problemas estarão resolvidos. Mas o problema do São Paulo não é esse, entra para ganhar, então esse é o problema. Se a gente não for campeão, não sair dessa situação, é um problema para o São Paulo. Então temos de ter consciência disso.

A diretoria estava distante e agora fizeram cobrança?
A diretoria nunca esteve afastada dos jogadores. É claro que quando você chega num momento de pressão, resultados não vem, a diretoria tem de intervir. Assim como os jogadores precisam dar mais. A diretoria sempre esteve do nosso lado, colocou a cara para bater. E temos de buscar soluções, temos de nos unir para curar a ferida, pois não estamos acostumados a viver isso. Reunimos não para criticar, mas para resolver o problema. A diretoria veio para somar.

O que é preciso agora?
Principalmente os jogadores mais experientes precisam se dedicar mais, colocar a cara pra bater, jogar pela equipe. Não é que falta caráter, mas Maicon é um jogador, Lugano e Michel são os experientes, é quem pode fazer o São Paulo dar a volta por cima. E se unir com os garotos, só a gente pode sair dessa situação.