Bruno Grossi e Marcio Porto
28/05/2016
07:10
São Paulo (SP)

– A gente está sonhando junto. Todo dia a gente lembra que o gol da classificação, do título, vai chegar pelo Alan Kardec.

A frase é do auxiliar técnico Pintado. Mais importante do que o caráter profético, mostra o grau de confiança que o São Paulo ainda tem no atacante. Kardec, provavelmente, será titular do time neste domingo contra o Palmeiras, no Morumbi, pela quarta rodada do Brasileirão, em virtude da não recuperação do argentino Jonathan Calleri.

Pintado confia porque, segundo ele, Kardec não desiste. O centroavante tem passado muito tempo com o auxiliar nos treinos, fazendo trabalhos complementares para voltar à boa e velha forma. Este ano, o camisa 14 marcou só um gol em 25 jogos.

– Os melhores atacantes do mundo passam tempo sem fazer gol. É momento de pensar na equipe. O Kardec fala que se não fizer gol, vai lutar, correr, ajudar de alguma forma. Está muito próximo de fazer o gol – analisou Pintado, ao

Kardec
Alan Kardec vive má fase no São Paulo (Foto: Angelo Martins)

Pintado lembra que no último jogo, contra o Coritiba, Kardec acertou a trave em cabeçada. Se o auxiliar estiver certo, o gol pode ser mais especial se sair neste domingo. Além de ser contra o ex-clube, Kardec pode ajudar a encerrar um incômodo tabu. Faz dez clássicos que o São Paulo não vence, embora esteja desde 2002 (22 jogos, 13 vitórias e nove empates) sem perder do rival no Morumbi.

Importante ressaltar que o camisa 14 foi o único a marcar em clássicos este ano: seu gol na temporada saiu no empate por 1 a 1 com o Santos, na Vila Belmiro, pelo Paulista. Anima.

– Fui melhor que nos outros jogos sem dúvida. Houve uma ligeira melhora. Estou feliz, me sinto bem fisicamente. A tendência é melhorar nas próximas partidas. Vou Continuar trabalhando cada vez mais tentar melhorar a pontaria – afirmou Kardec, após o último jogo.

A confiança se estende a Bauza.

– Ele tem entrado muito bem em alguns jogos, mas sem a continuidade que teve Calleri. E alguns necessitam dessa sequência. Na quarta teve grandes chances, acertou a trave e fez uma boa partida, mas sem sequência é mais difícil. Estou satisfeito com ele – afirmou o treinador.

O título, então, é agora, Kardec!