Diretoria do São Paulo

O diretor-executivo Gustavo Veira de Oliveira, o novo diretor de futebol José Jacobson Neto, o presidente Carlos Augusto de Barros e Silva e José Alexandre Medicis, vice de futebol (Foto: Juca Pacheco / saopaulofc.net)

Bruno Grossi
02/09/2016
16:02
São Paulo (SP)

Diante dos maus resultados do São Paulo na temporada, torcedores passaram a criticar a diretoria por supostamente deixar o elenco à deriva. Essa visão foi reforçada após a invasão de torcedores ao CT da Barra Funda, mas agora o clube tenta revertê-la. Nos últimos dias, o diretor de futebol José Jacobson Neto deixou os bastidores para se posicionar à frente dos jogadores.

O cartola participou de programas de rádio e televisão, tem conduzido o contato com as autoridades públicas sobre o incidente no CT e, nesta sexta-feira, falou pela primeira vez em entrevista coletiva. A bancada foi dividida com Ricardo Gomes e o volante Hudson, que recebiam perguntas endereçadas da imprensa. Jacobson, porém, pedia a palavra com frequência para ressaltar o discurso do técnico ou demonstrar apoio ao elenco.

- O time já está ficando com a cara do Ricardo. O elenco é bom, os garotos da base estão indo bem e vamos apostar neles. Os jogadores também nos cobram, ajudam falando o que o time precisa. Queremos deixar o clube em ordem. Ninguém nega que não estamos tendo os ganhos esportivos. No domingo passado os atletas entraram e se dedicaram ao máximo, sempre incentivados pela diretoria desde o ocorrido no sábado até o vestiário. Eles se superaram. Não se preocupem, estamos dando todas garantias que o São Paulo precisa para os atletas responderem em campo - ponderou.


Jacobson ainda cumpriu outro anseio da torcida: admitir que a diretoria tem responsabilidade pela má fase atravessada pelo clube. O diretor reconhece que o planejamento poderia ter sido melhor, principalmente para um horizonte além da Copa Libertadores da América. Ainda assim, eximiu a cúpula por não ter reposto Ganso e Calleri à altura. Para ele, Cueva e Chavez têm cumprido com as expectativas do clube.

Michel Bastos
Diretor falou ainda sobre as situações de Michel Bastos e Wesley (Foto: Maurício Rummens/Fotoarena/Lancepress!)

- O planejamento, no tempo disponível, foi bom, mas poderia ter sido melhor. Os últimos resultados não foram bons, com um péssimo contra o Juventude. O planejamento foi bom, mas precisa melhorar mais. Nossa responsabilidade existe, como diretoria. E perdemos alguns pontos jogando muito bem no Morumbi. Boas partidas perdidas no detalhe. O ganho esportivo é um objetivo e precisamos melhorar. É nossa responsabilidade. Os atletas estão se esforçando muito e junto com o Ricardo vamos reverter isso - projetou.

ESCUDO
Dentro da estratégia de tentar blindar o elenco, Jacobson apresentou discursos bem incisivos quando perguntado sobre Wesley e Michel Bastos. A dupla é uma das mais criticadas pela torcida e foi até agredida na invasão ao CT.

- Michel é nosso jogador, tem vínculo conosco, confiamos muito nele e é um atleta muito bom. Fiquem tranquilos, é nosso atleta e contamos com ele. E o Wesley também não é problema nenhum. Ele ganha o que merece por ser um atleta de ponta e tenho certeza de que renderá mais. O Kardec não vinha bem, era criticado, melhorou e agora vocês dizem que faz falta - rebateu.