Allianz Parque

Gramado do Allianz Parque apresentou marcas no jogo contra o Grêmio (Foto: Thiago Ferri)

Thiago Ferri
20/10/2016
18:40
São Paulo (SP)

A WTorre divulgou no fim da tarde desta quinta-feira uma nota para explicar o estado do gramado do Allianz Parque. Classificado como "horrível" por Cuca, o campo apresentou marcas depois dos recentes shows de Andrea Bocelli e da banda Aerosmith. Ainda assim, a construtora diz que tinha condições técnicas e de segurança para os jogadores.

"Apesar de apresentar diferentes tons de verde, por conta da cobertura realizada para proteger o gramado durante a realização dos eventos, as condições de nivelamento e densidade de piso garantiam, segundo os especialistas, não apenas a qualidade técnica, mas também a segurança dos atletas envolvidos na partida", diz o comunicado.

Ainda no texto, a construtora justifica que a consultoria que monitora o campo do Allianz Parque liberou a partida no local. Até o clube havia feito uma vistoria na terça-feira, véspera do duelo com o Grêmio.

"O Allianz Parque informa que o campo de jogo foi liberado para a partida da última quarta-feira por apresentar as condições técnicas para o jogo, segundo a consultoria que monitora o gramado, bem como a empresa especializada responsável pela manutenção do campo de jogo. Essa condição, inclusive, foi constatada pelo próprio clube em vistoria técnica realizada na manhã da última terça-feira (18)", continua.

Na entrevista desta tarde na Academia de Futebol, Dudu foi questionado sobre a condição do campo e também fez críticas.

- A prioridade tinha de ser o futebol, não shows, e nosso time é técnico, toca bem a bola. Quando jogamos em gramado bom, nosso jogo flui, tem mais qualidade. Temos de superar isto também. Se quisermos ser campeões temos de jogar domingo no nosso estádio, com o campo bom ou ruim para conseguir o resultado contra o Sport - afirmou.

"O Palmeiras e sua torcida têm hoje uma das casas mais belas e modernas do futebol mundial. Um empreendimento que trouxe para o país um novo modelo de negócios: investimento totalmente privado, sem onerar o clube e baseado na promoção de múltiplas atividades, a exemplo das mais bem sucedidas arenas internacionais. É esse modelo de negócios que permite não apenas manter, como melhorar continuamente as condições e a estrutura da arena, motivo de orgulho para os palmeirenses", responde a WTorre.

A última partida gerou outro conflito entre os parceiros: um funcionário do Palmeiras tampou a câmera de segurança instalada pela construtora no camarote do clube. A câmera havia sido colocada como resposta ao problema que Paulo Nobre teve com um flamenguista no setor.