Treino do Palmeiras (FOTO: Cesar Greco/Palmeiras)

Matheus Sales, titular, protege a bola de Allione, que integrou um dos times reservas (FOTO: Cesar Greco/Palmeiras)

Fellipe Lucena
14/01/2016
18:42
Itu (SP)

As presenças do volante Jean e do atacante Rafael Marques foram as principais novidades do treino do Palmeiras nesta quinta-feira, no Spa Sport Resort, em Itu (SP). Mas a dupla que acaba de se juntar ao elenco no interior de São Paulo não participou do treino com bola, em que Marcelo Oliveira montou a equipe titular pelo segundo dia consecutivo.

Jean, anunciado como reforço na noite de quarta, foi o primeiro a aparecer no gramado, mas logo juntou-se a Fellype Gabriel na sala de musculação para trabalhos de recondicionamento. Já Rafael Marques, de contrato renovado até o fim de 2017, fez a primeira parte do treino, que tinha apenas exercícios sem bola, ao lado do grupo no gramado. Quando os times foram separados, ele e o volante Gabriel fizeram intenso trabalho físico atrás da linha de fundo.

Marcelo Oliveira montou três times. O titular tinha Fernando Prass, Lucas, Edu Dracena, Vitor Hugo e Zé Roberto; Arouca e Matheus Sales; Robinho, Dudu e Gabriel Jesus; Barrios. Essa foi a mesma equipe ensaiada no dia anterior.

Uma das equipes reservas tinha Vagner, João Pedro, Alberto Valentim, Leandro Almeida e Egídio; Thiago Santos, Jobson, Cleiton Xavier e Nathan; Erik e Cristaldo.

Chamou a atenção nesta equipe a presença do auxiliar técnico Alberto Valentim, que fez dupla de zaga com Leandro Almeida, deixando Nathan primeiro como um armador e depois como volante mais recuado. O improviso foi feito para que exatamente todos os atletas tivessem a mesma carga de treino no dia, uma vez que enquanto duas equipes se enfrentavam a outra fazia trabalho de cruzamentos e finalizações.

O outro time reserva foi formado por Vinicius Silvestre, Taylor, Thiago Martins, Roger Carvalho e Victor Luis; Rodrigo e Moisés; Mouche, Régis e Allione; Alecsandro.

O trabalho foi realizado em pouco mais da metade do gramado. Só era permitido dar dois toques na bola e, além das duas traves convencionais, havia pequenas traves nas duas laterais do campo, em que também era válido marcar gol. A ideia era deixar os laterais ainda mais atentos à marcação.