Ciclismo (Foto: Divulgação)

Equipe do Funvic Soul Cycles disputa as principais competições do continente (Foto: Divulgação)

Felipe Domingues
05/11/2015
20:21
São Paulo (SP)

A esperança de ver uma equipe verde e amarela disputando a prestigiada e tradicional Volta da França de ciclismo ficou um pouco mais perto. Nessa semana, a Funvic Soul Cycles & Carrefour, de São José dos Campos (SP), comandada pelo empresário João Paulo Diniz, recebeu a licença Pro Continental da União Ciclística Internacional (UCI) e se colocou entre os melhores times do mundo.

A Pro Continental é uma espécie de segunda divisão da modalidade (20 equipes em 2015), acima da Continental (180) e abaixo apenas da Mundial (17). Na história brasileira, só uma vez o país teve um representante na “divisão de acesso” à elite, mas a Scott, com problemas financeiros, foi suspensa após quatro meses de disputas.

Porém, a maior diferença nessa “subida” de ranqueamento diz respeito à possibilidade de a Funvic Soul Cycles disputar os maiores eventos do mundo como, por exemplo, a tradicional Volta da França.

O diretor da equipe, Benedito Tadeu Júnior, acredita que esse sonho pode ser realizado em pouco tempo, mas não imediatamente.

– Com a licença, o plano é competir no calendário internacional e nas principais provas do mundo. Mas queremos fazer um caminho até receber o convite para a Volta da França, e o esperamos em até três anos. Queremos colocar uma equipe brasileira em um nível que ninguém conseguiu – disse, ao L!.

O time, composto por 16 ciclistas ainda a serem anunciados, ocupa, hoje, a segunda posição no ranking das Américas, com 380,67 pontos, atrás da Smartstop (EUA), com 599.

Agora, após não receber convite para o Tour de San Luís (ARG), importante prova do Circuito Americano, a Funvic Soul Cycles já mira a disputa da Down Under, em Adelaide (AUS), que acontece de 16 a 24 de janeiro e faz parte do Tour Mundial.

– Deveria ter chegado convite (ao Tour argentino), pois ganhamos em 2015. Mas não fiquei preocupado, pois temos muitas outras competições importantes, como o Down Under, do qual aguardamos convite oficial – falou Benedito, que ainda completou sobre a chance de estar entre os melhores ciclistas do mundo.

– Só de participar dessas competições internacionais, é um sonho.