Argel Fucks - coletiva no Internacional (Foto: Divulgação)

Argel conseguiu seu primeiro título como técnico do Inter (Foto: Divulgação)

RADAR/LANCE!
09/05/2016
10:00
Porto Alegre (RS)

Após a conquista do hexacampeonato gaúcho, o técnico do Internacional, Argel Fucks, concedeu entrevista coletiva no Beira-Rio. O treinador destacou o trabalho coletivo, projetou o desempenho do Inter no Campeonato Brasileiro e elogiou os jogadores, principalmente o lateral-direito William e o goleiro Alisson, que pode ter feito a sua última partida com a camisa colorada.

- É o momento que consagra. Todos foram importante, muito mais os jogadores porque eles que fazem as coisas acontecer. É a garantia que a diretriz é essa. O time é competitivo. O futebol mudou, exige uma entrega maior, precisamos jogar com alegria, paixão, amor. Eu vejo isso nessa equipe. O grupo é aguerrido, humilde, pés no chão. Isso não dá para dizer que vamos ganhar o Brasileiro. Nosso planejamento é jogo a jogo - frisou.

Argel lembrou que antes do Estadual começar, o Internacional não era o favorito e conseguiu o seu objetivo. O treinador foca em continuar da mesma forma no Brasileiro.

- Não quero ser favorito, isso não me interessa. Nós não éramos o favorito a ganhar o Gaúcho. Eu quero ganhar, o Internacional quer ganhar. Pensar jogo a jogo tira a pressão de nós. Para mim, é melhor a imprensa não pensar que somos favoritos. Quero chegar em dezembro campeão - afirmou.  

Sobre os seus comandados, Argel foi perguntado sobre a importância de William para o time. O lateral voltou a jogar após 40 dias suspenso pela entrada violenta que fraturou a mandíbula do gremista Miller Bolaños.

- William é um jogador fantástico. Quando cheguei era titular. É um dos líderes do elenco. O que aconteceu no clássico foi uma fatalidade. Achei a punição alta, injusta. O atleta machucado voltou a jogar e o William suspenso - salientou o comandante.

Já a respeito do capitão e ídolo Alisson, o treinador desejou sorte no futuro e agradeceu pelos serviços prestados. 

Alisson - Internacional
Alisson, após o título, no gramado do Beira-Rio (Foto: Divulgação)

- É uma alegria muito grande ter participado do processo de formação do Alisson. Ele deixa um legado muito importante. São doze anos aqui dentro e sai pela porta da frente. Ele rendeu uma boa quantia para o clube, sai como um ídolo e deixamos as portas abertas. Desejo muita saúde e paz espero que continue sendo o grande goleiro que é. Para um goleiro de 23 anos ele já atingiu um maturidade e confiança que só os grandes conseguem. O melhor ainda está por vir na carreira dele - finalizou.