Léo Saueia e Russel Dias
29/11/2016
15:29
São Paulo e Santos (SP)

O zagueiro Willian Thiego, uma das vítimas do acidente aéreo em Medellín com a delegação da Chapecoense, estava quase acertado com o Santos para defender o clube em 2017.  O Peixe já havia encaminhado tudo com o jogador nesta semana. O empresário Luiz Taveira, que representa o clube em negociações com Guerra e Berrío, do Atlético Nacional, em solo colombiano, aproveitaria a estadia da Chapecoense no país para assinar o pré-contrato com Thiego.

Envolvido no socorro às vítimas do voo que caiu na madrugada desta terça-feira, Taveira esteve em contato com Thiego antes de o jogador embarcar com a delegação da Chape e revelou que ele estava muito feliz com a oportunidade de defender as cores do Santos na próxima temporada.

- Ele estava feliz da vida (com o acerto). Falava que estava feliz demais, eu iria encontrá-lo hoje (terça-feira, para acertar). Vem lágrimas nos olhos só de lembrar - disse o empresário, em contato com a reportagem do LANCE!.

O presidente do Peixe, Modesto Roma Júnior, confirmou que Thiego já era reforço certa para 2017. Ele ainda lamentou a perda do volante Cléber Santana, que defendeu o clube entre 2006 e 2007.

Revelado pelo Grêmio em 2007, Willian Thiego, que tinha 30 anos, também teve passagens por Kyoto Sanga (JAP), Bahia, Ceará, Figueirense, Khasar (AZE) e defendia a Chapecoense desde a temporada de 2015. Neste ano, havia disputado 62 partidas e marcado oito gols. 

O acidente deixou 71 mortos, entre jogadores, membros da comissão técnica, dirigentes e jornalistas. O lateral Alan Ruschel, o zagueiro Neto e o goleiro Jackson Follmann foram resgatados com vida e estão hospitalizados. Outras três pessoas sobreviveram.