Messi no tribunal de Barcelona

Messi no tribunal de Barcelona (Foto: ALBERTO ESTEVEZ/AFP)

LANCE!
03/06/2016
14:52
Barcelona (ESP)

O advogado que representa o estado espanhol na ação contra o atacante Messi considera que o jogador do Barcelona age como o "líder de uma estrutura criminosa". O craque argentino e o pai, Jorge Messi, são acusados de desviarem do Fisco Espanhol 4,1 milhões de euros (R$ 16,5 milhões) relativos a contratos de direitos de imagens, de 2007 a 2009.

- Os dois são capazes de entender o que é pagar impostos. Até uma criança de dez anos sabe o que é isso. Não quero comparar Messi a um mafioso, mas é como se ele fosse o "capo" (líder) de uma estrutura criminosa - disse o promotor Mario Maza, em nome da Agência Tributária.


O Ministério Público da Espanha pediu 22 meses de prisão para o jogador e o pai por conta do esquema ilícito.

A investigação começou em 2013. Em 2005, a família de Messi teria sido aconselhada por seu ex-assessor Rodolfo Schinocca a fundar uma empresa em Belize para o depósito do dinheiro relacionado aos direitos de imagem.

Em 2015, a família rompeu com Schinocca e substituiu a empresa em Belize por outra no Uruguai, continuando a receber pelos direitos de imagem, sem pagar os impostos à Fazenda espanhola.

Na última quinta-feira, Messi depôs em um tribunal de Barcelona. O craque alegou que não entendia sobre o tema e afirmou que deixava todos os contratos para o pai e os advogados assinarem. As palavras do camisa 10 não convenceram Maza.

- Não resta dúvida de que Messi está conseguindo benefícios ao pagar impostos em outros países. O jogador sabia muito mais do que aparentava no discurso - completou.

Messi ainda aguarda definição sobre o fim do processo que o acusa de fraude fiscal na Espanha. De acordo com a imprensa do país, a fiscal Raquel Amado - uma das partes envolvidas - solicitou que o jogador fosse absolvido, mas culpando seu pai Jorge pelos crimes.