RADAR / LANCE!
03/01/2017
07:15
Rio de Janeiro (RJ)

A expectativa sobre Gustavo Scarpa no Fluminense é enorme, assim como será a sua responsabilidade em 2017. Em um ano que terminou de forma melancólica para o Tricolor, o camisa 10 encerrou a temporada com um dos nomes mais valorizados no país.

Além das assistências, gols e ótimas atuações que teve, o que será cobrado a mais de Scarpa será uma regularidade ainda maior. Destaque no Carioca, Primeira Liga e Brasileirão, o jovem meia apresentou uma queda de rendimento na reta final do ano, resultado da péssima fase de todo o time.

Com potencial para alcançar a Seleção Brasileira no curto prazo, Scarpa também precisa ter ao lado uma equipe organizada, o que pode voltar a acontecer agora sob o comando de Abel Braga e reforços que aumentarão o nível técnico, como Sornoza.

COM A PALAVRA

'Talento para ir à Seleção'

RIVELLINO

Ex-meia do Fluminense


Gustavo Scarpa é um jogador com qualidade, de muita inteligência e com uma chegada muito forte. Tem se mostrado um importante camisa 10 para o Fluminense. O problema é que não adianta a equipe depositar todas as fichas em torno dele.

O Scarpa tem um talento que, com o passar dos anos, pode levá-lo até à Seleção Brasileira, mas desde que o garoto tenha a seu lado jogadores que o ajudem. Faltam hoje ao Fluminense tanto quem faça a bola chegar até ele para engatar as jogadas quanto um homem de área de qualidade. Ter um jogador com perfil de "camisa 10" como ele é importante, mas é preciso um elenco de qualidade ao Flu.

NÚMEROS DE GUSTAVO SCARPA EM 2016

Partidas>60
Gols marcados>14
Assistências>18
Finalizações certas>57
Passes certos>1936

CAMISAS 10 COM PASSAGENS RECENTES NO FLUMINENSE

DIEGO SOUZA

Apresentado sob euforia no início do ano passado, o meia teve uma volta fugaz às Laranjeiras. Após ter disputado 11 partidas e marcado quatro gols, deixou o clube em março e acertou seu retorno ao Sport.

RONALDINHO

O craque também teve retorno ao Fluminense cercado de badalação e euforia da torcida no decorrer do Brasileirão. No entanto, chegou a amargar a reserva e, insatisfeito, deixou o clube após três meses, com nove jogos e nenhum gol como lembrança.

WAGNER


Presente no elenco campeão brasileiro de 2012, o meia deixou de lado o papel de coadjuvante e conseguiu se firmar como referência da equipe, tendo boa distribuição de passes e criatividade nas jogadas. Após boas lembranças
deixadas nas Laranjeiras, saiu do clube em meados de 2015 e acertou sua transferência para o futebol chinês.