Henrique, zagueiro do Fluminense, quer a vaga na Copa Libertadores (Foto: Mailson Santana/Fluminense F.C.)

Henrique admite que o sistema defensivo precisa melhorar nas jogadas de bola aérea  (Foto: Mailson Santana/Fluminense F.C.)

Felipe David
17/10/2016
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

Diante do São Paulo, o Fluminense terá a oportunidade de deixar no passado a derrota na última rodada, diante do Flamengo. O grande desafio do técnico Levir Culpi é desviar o foco do elenco em relação à polêmica do apito no clássico de quinta-feira.

No domingo, o treino no CT da Barra da Tijuca durou cerca de uma hora e meia. Levir Culpi comandou um trabalho tático fechado para a imprensa e fez mistério na escalação do time para o jogo desta segunda-feira.

O que se sabe é que Diego Cavalieri permanece fora do time, apesar de o goleiro já treinar com o grupo. O volante Pierre, que levou três pontos na canela, também deve desfalcar o time.

Levir Culpi sabe que o time ainda está longe do equilíbrio ideal. Afinal, as falhas defensivas estão se repetindo com frequência no segundo turno da competição nacional.

Titular da zaga tricolor e protagonista do lance que originou a polêmica no clássico da última rodada, Henrique não foge do tema e falou sobre os frequentes gols de bola aérea que a defesa vem sofrendo.

– Todo gol preocupa. Sabíamos que a bola parada deles era forte e treinamos na semana passada. Foram erros de nós mesmos. Um gol contra, erros nossa que foram no jogo. Conseguimos de certa forma neutralizar algumas coisas, mas acontece. Conversamos e treinamos para errar o mínimo possível. No futebol isso acontece e temos de trabalhar para diminuir esses erros.

Nas 11 rodadas disputadas no returno, foram 12 gols sofridos de bolas cruzadas na área. Tal situação de jogo é treinada exaustivamente pelo técnico Levir Culpi nas partidas que antecedem as partidas do Flu. No campeonato, o time sofreu 32 gols.

Na primeira metade do Brasileirão, a situação era oposta. A defesa era sólida e o ataque era considerado o grande problema da equipe. Agora Levir encontrou a melhor formação ofensiva, mas vem sofrendo com a irregularidade de sua defesa. Contra o São Paulo, a ordem é não vacilar nas jogadas pelo alto, que é sempre uma jogada forte da equipe paulista. Até porque Rodrigo Caio sempre mostrou eficiência nas bolas aéreas.

Conquistar três pontos diante do rival é visto como obrigação nas Laranjeiras. A tabela ajuda. Dos próximos oito adversários, todos, sem exceção, estão atrás na tabela. No primeiro turno, o time do Morumbi venceu o Flu no Morum-bi, por 2 a 1, com gols de João Schmidt e Alan Kardec para os donos da casa, enquanto Cícero descontou para o Tricolor carioca.