César Martins não treinou com bola (Gilvan de Souza / Flamengo)

César Martins ressalta que, por outro lado, tem de ter tranquilidade para vencer (Gilvan de Souza / Flamengo)

LANCE!
24/04/2016
10:10
Manaus (AM)

Para o Flamengo, o confronto deste domingo, contra o Vasco, tem um peso maior que um simples duelo com um rival ou assegurar uma vaga na final do Campeonato Carioca. Vale, também, a quebra de um retrospecto que não tem sido nada favorável ao time rubro-negro. O último triunfo aconteceu há mais de um ano, em março de 2015, válido pelo Estadual, em jogo que ficou marcado por um temporal que caiu no Rio de Janeiro e alagou o gramado do Maracanã.

De lá para cá foram oito jogos – entre Estadual, Copa do Brasil e Brasileiro do ano passado e Carioca deste ano –, e nenhuma vitória do Flamengo. Contando ainda que, nestes duelos, o rubro-negro acabou sendo eliminado na semifinal do Carioca do ano passado e oitavas de final da Copa do Brasil.

Diante dos números, a tensão para a partida de logo mais é evidente e, apesar de o elenco tentar deixar isso de lado, há algo que fazem os jogadores lembrarem do recente tabu.

– Tentamos lidar com isso com a maior tranquilidade possível. Lógico que há a pressão em que um olha para o outro e pensa: “Vai ter que ser nesse jogo, neste fim de semana”. Mas, às vezes esquecemos para baixar a adrenalina – disse o zagueiro César, que neste domingo será titular na Arena da Amazônia.

E para se ter uma noção da importância que a partida ganhou, Juan, um dos mais experientes do elenco, fez questão de estar em Manaus com o grupo mesmo sem poder atuar, devido ao terceiro cartão amarelo que recebeu contra o Bangu.

Maia tarde, a equipe de Muricy Ramalho tem a chance de quebrar esse jejum contra o rival e, de quebra, devolver a eliminação do Carioca do ano passado. É clássico, é rivalidade e está valendo muito!