Confira as imagens da goleada do Atlético-PR sobre o Flamengo (foto:Rodolfo Buhrer/La Imagem/Fotoarena/Lancepress!)

O Flamengo saiu de campo com um vexame em Curitiba (foto:Rodolfo Buhrer/La Imagem/Fotoarena/Lancepress!)

David Nascimento
30/11/2015
08:00
Rio de Janeiro (RJ)

Em termos de classificação do Campeonato Brasileiro, a partida do último domingo diante do Atlético-PR não valia nada. Tanto o Flamengo quanto o seu rival estão apenas cumprindo tabela neste fim de temporada. E os jogadores do Rubro-Negro carioca cumpriram à risca o termo e não fizeram nada em campo. Resultado disso? Uma derrota por 3 a 0, com erros a todo instante e um grande vexame.

Esta é a prova de que Oswaldo de Oliveira, ex-técnico do Flamengo que deixou o clube no sábado, não foi o culpado pela má fase da equipe. O elenco tem vários buracos – com exceção do ataque –, o que influencia no resultado geral do time em campo. A defesa e o meio de campo deixam muito a desejar, estão 100% aquém do que o Flamengo merece por sua grandeza e seus mais de 40 milhões de torcedores pelo mundo.

Jayme de Almeida, técnico interino mais uma vez do Flamengo, colocou como titular o que tinha disponível no grupo, em um jogo marcado por diversos desfalques – Guerrero, Jorge e Emerson Sheik são alguns dos exemplos. Até daria para aceitar um time sem entrosamento, por conta destas mudanças obrigatórias, mas não poderia ser tão sem vontade como foi. Nos gols sofridos, a marcação ficou longe, os espaços para o Atlético-PR desfilar foram impressionantes, e Alan Patrick, no meio, nada de bom criou.

O Flamengo entra na última semana da temporada. Os treinos deste terça-feira até sábado no Ninho do Urubu tendem a ser um marasmo. Os jogadores não estão motivados, não sabem o futuro, sem se preocupar com o que realmente devem: dar alegrias ao torcedor. O time não tem base alguma e tem que mudar. A eleição presidencial na segunda-feira da semana que vem retarda todo o planejamento, que já é difícil de ser feito (vide os últimos anos) e tem esta demora como prejudicial.

A torcida do Flamengo espera que diante do Palmeiras, no encerramento da temporada, os jogadores deixem ao menos uma boa impressão. Serão praticamente dois meses sem jogos oficiais e uma nova derrota pode fazer a barca – já considerada grande – ser maior. Pouca coisa deve ser mantida para 2016 se o desejo for dar alegrias.