Gilvan de Pinho Tavares, presidente do Cruzeiro (Foto: Divulgação)

Gilvan de Pinho Tavares analisou o protesto ocorrido nesta segunda-feira (Foto: Divulgação)

RADAR/LANCE!
30/05/2016
17:50
Belo Horizonte (MG)

Gilvan de Pinho Tavares, presidente do Cruzeiro, se pronunciou sobre o momento do clube e o protesto ocorrido nesta segunda-feira, em frente a sede administrativa do clube. Segundo o mandatário, as organizadas estão perdidas e o movimento pode ter dedo da oposição.

- Eu acho que isso não é forma de torcer. Eu tenho certeza que tem alguma coisa por trás. É uma torcida que anda pedindo as coisas, pediram para conversar comigo, me pediram desculpa, porque fizeram uma grosseria muito grande com o treinador do Cruzeiro no dia em que o Paulo Bento foi apresentado aqui na Toca II. E foram lá me pediram para eu recebê-los. Eu os recebi. Agora, eles vão para o campo torcer o seguinte: se ganhar, eles continuam a torcer para o Cruzeiro; se levar um gol, começam a torcer contra e hostilizar jovens jogadores, promessas que estão sendo lançadas, atrapalhando o rendimento dos atletas. Isso não é torcedor. Se dizem organizados, mas, pelo que senti, eles estão completamente desorganizados nestes momentos. Estão querendo obrigar o clube a fazer coisas precipitadas que não vamos fazer. Nós vamos contratar, vamos trazer reforços - disse em entrevista ao programa Alterosa Esportes.

Sobre reforços, Gilvan revelou que existe dificuldades no mercado atual. Contudo, confirmou que a diretoria está atenta e que novidades podem aparecer na Toca da Raposa em breve.

- A imprensa, às vezes, não divulga o que acontece no Cruzeiro. Parte da imprensa. Mas, nós estamos cheio de atletas no departamento médico sendo recuperados, e esses atletas fazem falta à equipe. A gente está vendo no rival acontecer a mesma coisa. Mas, a gente sabe perfeitamente quais são as posições que tem que contratar. A gente esperava definir o treinador para indicar as posições que ele achasse carentes, e a gente contratar de acordo com o treinador. A gente foi atrás de posições, e nós vamos atrás, mas a gente sabe que no Brasil não está tendo. E quem tem não abre mão para o Cruzeiro. A gente tem que buscar fora, e estamos atrás. Quando abrir a janela, esses jogadores já estarão no Cruzeiro - declarou.

O Cruzeiro vive um 2016 ruim. Além das eliminações no Campeonato Mineiro e na Primeira Liga, o clube mineiro teve um início ruim no Brasileiro. Em quatro rodadas foram duas derrotas e dois empates. Com isso, a Raposa está na zona de rebaixamento, com apenas dois pontos.