Bruno Cassucci
05/12/2016
15:30
São Paulo (SP)

O volante Willians deu adeus ao Corinthians. Nove meses depois de chegar ao clube, o jogador foi liberado dos treinamentos no CT Joaquim Grava e devolvido ao Cruzeiro, clube que o emprestou em troca com o jovem Marciel, que já havia retornado ao Timão em setembro.

Willians fez 27 partidas com a camisa alvinegra, sendo 12 como titular, e não marcou nenhum gol.

No último dia 20 o volante foi afastado do elenco corintiano após discutir com um torcedor que protestava na saída do CT. A diretoria do clube decidiu que ele treinaria separadamente dos demais. Assim, ele passou a trabalhar apenas na academia e não foi mais a campo.

A ideia inicial era que Willians seguisse com o grupo até o fim do Campeonato Brasileiro. Porém, a última rodada da competição, que estava prevista para o último domingo, foi adiada por conta da tragédia com o avião da Chapecoense. Desta forma, diretoria e comissão técnica do Timão entenderam que era melhor já liberar o volante para férias.

"Em dias de tamanha tristeza no mundo do futebol, encerrei minha passagem pelo Corinthians. Gostaria de agradecer a todos que estiveram na torcida e também me desculpar se caso não consegui corresponder às expectativas depositadas em mim. Dei meu máximo sempre, mas às vezes as coisas não acontecem da maneira que planejamos. Fica aqui o meu muito obrigado a diretoria, comissões técnicas, funcionários, jogadores e torcedores. Agora é descansar e voltar com tudo pra 2017", escreveu Willians em suas redes sociais.

Sobre o afastamento, o jogador de 30 anos se pronunciou da seguinte forma há duas semanas:

"Todo jogador de futebol está sujeito a cobrança, mas desde que seja com respeito. E este não foi o caso. Infelizmente, tem muita gente querendo se aproveitar de situações para aparecer, pois são muitos os canais de divulgação e de fácil acesso. Ele veio falar comigo e filmando, como todos viram. Talvez o intuito fosse mais aparecer do que cobrar e pensar no clube", argumentou.

A contratação do volante foi um pedido do ex-técnico corintiano Tite, que via nele uma boa opção para substituir Ralf, vendido depois do hexacampeonato brasileiro. Na época, o treinador e o gerente de futebol Edu Gaspar defenderam a transferência exaltando a experiência de Willians e suas qualificações.

Atualizada às 16h45