Bruno Cassucci e Gabriel Carneiro
29/06/2016
07:30
São Paulo (SP)

Rodriguinho se sente em casa no Independência, palco em que o Corinthians joga nesta quarta-feira, às 21h45, contra o lanterna América-MG. A identificação é tanta que o camisa 26 até se confundiu quando a reportagem do LANCE! perguntou qual era sua melhor lembrança do estádio em Belo Horizonte.

– Mas você quer saber pelo América-MG ou pelo Corinthians? – brincou o meio-campista, titular nesta noite pela quarta partida seguida.

Rodriguinho defendeu as cores do América-MG por duas temporadas antes de ser contratado pelo Corinthians, em setembro de 2013. Pelo Coelho, o meia participou da reinauguração do Independência, estádio que ficou três anos fechado em obras e voltou a ser utilizado pelo clube em 2012. Ao lado de jogadores como Euller, que fazia sua despedida do futebol, e Moisés, hoje no rival Palmeiras, o atual meia do Corinthians participou da vitória por 2 a 1 diante do Argentinos Juniors (ARG) neste jogo festivo. Essa é uma das lembranças especiais...

... mas a outra é ainda mais forte, e já foi como jogador do Corinthians. Em novembro do ano passado, Rodriguinho aproveitou a brecha da suspensão de Elias e foi titular na goleada por 3 a 0 sobre o Atlético-MG que fez o Timão abrir 11 pontos na liderança do Brasileirão e praticamente encaminhar o título nacional. Haja lembrança positiva!

– Naquele momento disputávamos o título com o Atlético-MG e foi um 3 a 0 que eu joguei no lugar do Elias, foi um dia muito especial. Fui muito bem, a equipe toda foi muito bem nesse jogo, porque vencemos um concorrente direto ao título e uma equipe que vinha muito bem no Independência. É um jogo para não esquecer. A última lembrança é ótima – diz o meio-campista de 28 anos.

O jogo desta quarta, contra o América-MG, será o primeiro do Corinthians no Independência desde a goleada contra o Galo que encaminhou o título do Brasileirão do ano passado. Curiosamente, o Timão já enfrentou o Atlético como visitante nesta edição do torneio, mas o jogo foi no Mineirão, e não no Horto. Apenas Cássio e Rodriguinho que foram titulares no ano passado começam jogando de novo, mas as boas recordações falam mais alto para o Timão.

Rodriguinho
Rodriguinho tem vínculo até fim de 2017 (Foto: Agência Corinthians)

BATE-BOLA com RODRIGUINHO
MEIA DO TIMÃO, AO LANCE!


Ano passado a vitória no Horto fez o Corinthians abrir 11 pontos no Brasileirão. Espera mais equilíbrio da competição nesta temporada?
Tem vários times brigando pela ponta esse ano. O campeonato está só começando, mas já deu para perceber que vai ser bem disputado, e a gente tem que estar nesse meio brigando, porque a intenção de todos é conseguir o bicampeonato. Nossa ideia é não deixar os adversários se distanciarem, mas esse ano será um pouco mais complicado, mas brigamos por vitórias e para chegar à liderança.

E como vai ser voltar ao palco de um jogo simbólico para o título?
Vai ser especial voltar lá. Ainda mais para mim, porque joguei bastante tempo, me sinto bem em casa, gosto muito de jogar lá, campo bom. Na época em que joguei no América-MG fiz o primeiro jogo do Independência. É um time que eu tenho carinho especial, passei dois anos. Mas agora minha cabeça, lógico, é voltada ao Corinthians e espero me firmar na equipe como jogador importante. E que a gente possa ter outro título.

Como tem encarado sua sequência como titular da equipe?
Com naturalidade, porque sei do meu potencial e já demonstrei isso outras vezes. Ano passado sempre que o Elias ficava fora e era preciso de mim eu pude jogar e ajudar. Acho que estou dando boa impressão ao Cristóvão, rendendo bem em campo.

Dizem que Brasileirão é vencer em casa e pontuar fora.  Pelo América ser lanterna, é a chance de somar três pontos?

Campeonato Brasileiro é difícil, não podemos dar mole ou menosprezar ninguém. Logicamente jogamos todas para ganhar, mas independente de ser o último colocado precisamos ter seriedade para fazer o nosso papel e pontuar. Cada pontinho fará a diferença.