Cássio, do Corinthians

Goleiro tem 223 jogos pelo Timão e participa de sua quarta edição da Libertadores (Foto: Agência Corinthians)

Gabriel Carneiro
05/04/2016
08:00
Enviado especial a Bogotá (Colômbia)

Cássio tinha apenas oito anos quando Danrlei agarrou tudo com a camisa do Grêmio diante do Atletico Nacional, na Colômbia, e garantiu o título da Libertadores de 1995 para o clube gaúcho. Apenas cinco anos depois, o garoto nascido em Veranópolis (RS), então aos 13, ganhou a oportunidade de iniciar sua carreira de goleiro no Olímpico e especialmente de conhecer o ídolo de infância. O tempo passou. Danrlei, hoje, é deputado federal, o mais votado pelo Rio Grande do Sul na última eleição. Futebol é passado. Cássio, por sua vez, é um dos principais goleiros do Brasil, e estará na Colômbia em que o ídolo se consagrou para completar seu 30º jogo pela Copa Libertadores, todos pelo Corinthians.

Contratado pelo Timão no início de 2012 e decisivo na conquista da Libertadores e do Mundial naquele mesmo ano, Cássio já é referência quando o assunto é a competição continental. Além do ano do inédito título corintiano, ele chegou às oitavas de 2013 e 2015 e agora tenta ir mais longe na edição de 2016. Somadas as quatro participações, são 29 jogos, com saldo positivo: 15 vitórias, oito empates e seis derrotas, além de apenas 16 gols sofridos.

Nesta temporada Cássio atuou em 15 dos 18 jogos oficiais do Timão, sendo quatro pela Libertadores - o quinto será nesta quarta, às 21h45, contra o Santa Fe, no tradicional estádio El Campin, em Bogotá. Dos 11 gols sofridos no ano, o camisa 12 levou dez, sendo quase um terço deles no último compromisso fora de casa pela competição, contra o Cerro Porteño (PAR). Além do desafio de segurar a bronca e encaminhar a classificação, o goleiro corintiano terá a chance de desequilibrar uma das poucas estatísticas que não pesam a seu favor.

Até hoje, o fã de Danrlei encarou 15 jogos como visitante na Libertadores, e soma cinco vitórias, cinco empates e cinco derrotas. Contra o Santa Fe, Cássio tem a chance de restabelecer as marcas positivas de seu currículo e ainda garantir a vaga do Timão nas oitavas de final da Libertadores, já que uma vitória fará o Timão abrir cinco em relação aos colombianos e não poderá mais ser alcançados por eles, ficando, assim, no mínimo em segundo lugar no Grupo 8.

- Vamos buscar os três pontos, mas sabemos que será um jogo complicado. Pontuar é importante, mas nosso objetivo é voltar com a vitória e a classificação - diz o goleiro do Corinthians, que não esconde a admiração pelo ídolo de infância.

- Vim de família humilde e conheci o Danrlei quando tinha 13 anos, quando eu era criança. Pedi a luva dele, e foi um momento muito legal. Anos depois subi para treinar no profissional com ele, que me dava dicas. Foram cinco minutos quando eu era criança que fizeram tudo valer a pena. Se ele tivesse sido ignorante comigo talvez eu nem estivesse aqui hoje, teria desistido, não sei - relembra.

Em nome do ídolo Danrlei, o campeão de 2012 quer fazer história de novo. Haja fé para o Santa Fe.