Bruno Cassucci e Gabriel Carneiro
04/11/2016
06:25
São Paulo (SP)

Oswaldo de Oliveira tem menos de um mês no comando do Corinthians, mas aos poucos já vai implantando sua filosofia no clube. Se em aspectos táticos ou mesmo na escalação da equipe ele não fez mudanças drásticas, no modo de trabalho ele apresentou novidades aos jogadores, que estão estranhando algumas das mudanças.

A principal delas é no método - principalmente no tempo - dos treinamentos. Oswaldo costuma orientar atividades longas, comumente com mais de três horas de duração.  Essa é uma das mudanças mais sentidas pelos atletas, que alegam desgaste físico pelos trabalhos "puxados". Antes, com Cristóvão Borges e Fabio Carille, o tempo no campo do CT Joaquim Grava era menor.

Os treinos também são quase todos no período da manhã, ao contrário do que era rotina. O treinador acredita que os atletas rendem mais quando iniciam os trabalhos logo cedo. Antes do clássico contra o São Paulo, por exemplo, quatro das cinco atividades da semana começaram às 9h30.

Outra novidade foi apresentada nesta quinta-feira, quando o técnico antecipou em um dia a concentração para o clássico contra o São Paulo.

O estranhamento dos jogadores, porém, não significa descontentamento com Oswaldo. O grupo recebeu bem o novo treinador, que tem agradado pelo forma próxima e sincera com que lida com os atletas. O aspecto motivador do comandante alvinegro também tem rendido elogios.

A relação com Oswaldo só não é uma novidade para três dos mais de 30 jogadores do elenco corintiano: Danilo, Guilherme e Rildo trabalharam com ele no passado.