Guilherme Amaro
22/10/2017
06:00
São Paulo (SP)

Em seu primeiro ano como técnico efetivado, Fábio Carille quer estreitar relação com outros treinador. Ao ser questionado sobre Jair Ventura, do Botafogo, rival do Corinthians nesta segunda-feira, o comandante do Timão revelou que tem conversado com alguns técnicos brasileiros em busca "do crescimento do nosso futebol".

- O Jair já mostrou o excelente profissional que é, chegou num mata-mata de Libertadores contra o Grêmio jogando de igual para igual. Tem dois técnicos que tenho conversado, que é o Jair e o Zé Ricardo (Vasco). Quero estreitar a amizade. Vejo que há um distanciamento entre os profissionais aqui, algo que não existe na Europa. Também estou ficando próximo do Dorival (Júnior, do São Paulo) e do Eduardo (Baptista, da Ponte Preta). Quero estreitar laços, fazer reuniões... Já está acontecendo, mas quero mais, para o crescimento do nosso futebol - afirmou Carille.

Em outra pergunta sobre a profissão, Carille recordou sua trajetória nesta temporada e lembrou de outra pessoa com quem tem conversado muito ultimamente: Muricy Ramalho, ex-técnico e hoje comentarista do SporTV.

- Eu poderia ser o mesmo profissional, com as mesmas convicções e não estar aqui se acontecesse resultados adversos. Como na vitória contra o Palmeiras com um a menos, que poderíamos ter perdido. Contra o Santos, também. São as mesmas ideias, mesmos princípios, mas sem a bola entrar. É duro nossa profissão, porque somos avaliados por resultados e não por desempenho. Em um lance, uma bola define seu futuro. O que me deixa mais feliz é que sei da pressão do início, mas segui minhas convicções, e os resultados aconteceram. Ouvi esses dias do Muricy, que é outra pessoa que tenho falado bastante, que o duro do futebol é o jogo. Se não fosse o jogo, o futebol seria maravilhoso para os técnicos - disse Carille.

O treinador do Corinthians ainda foi questionado sobre conversas com Tite, seu "mentor". Desde que foi efetivado, no fim do ano passado, Carille afirma se espelhar no atual técnico da Seleção Brasileira. As conversas entre eles atualmente, porém, raramente são sobre futebol.

- Conversamos bastante, sempre deixei claro que o Tite ajudou a me formar, é meu pai no esporte. Conversamos bastante, mas não sobre futebol. Eu praticamente já sei as resposta dele, tem de viver o a dia a dia, saber quem é quem. Quando eu o encontro pessoalmente, quando ele vem para São Paulo, temos liberdade para falar mais de futebol. No telefone, falamos sobre outras coisas - declarou o treinador corintiano.

Carille chegou ao Corinthians em 2009, para ser auxiliar da comissão fixa do clube. Após terminar o ano como técnico interino, ele foi efetivado no comando da equipe em dezembro. Em sua primeira temporada, conquistou o Paulistão e lidera o Brasileirão a nove rodadas para o fim do campeonato. Ele teve o contrato renovado até o fim de 2019 com o Timão.