Arena Corinthians - 3 (Foto: Ari Ferreira/Lancepress!)

Arena Corinthians foi inaugurada em maio de 2014 (Foto: Ari Ferreira/Lancepress!)

LANCE!
13/11/2015
15:09
São Paulo (SP)

Prometidos por Andrés Sanchez para 2012, os naming rights (direitos nominais, em tradução livre) da Arena Corinthians parecem enfim estar próximos de serem anunciados. Em entrevista ao programa de televisão "Seleção SporTV", na tarde desta sexta-feira, o ex-presidente e atual superintendente de futebol do Timão afirmou que estão próximas do fim as negociações para definir a empresa que dará nome ao estádio. O clube pede cerca de R$ 400 milhões por 20 anos de contrato e se diz irredutível a tal oferta.

– Está quase fechado. Mas o torcedor pode ficar tranquilo, porque estamos quase dois anos e meio atrasados, mas nos próximos dias vai fechar, estar bem adiantado. Pode ser no jogo contra o São Paulo (dia 22/11), pode ser depois das finais da Copa do Brasil (dias 25/11 e 2/12), vamos ver – comentou Andrés.

O dirigente do Corinthians disse que o clube negocia com duas empresas. Apenas uma, no entanto, poderá dar nome à Arena. Para exemplificar a negociação atual, Andrés citou empresas dos ramos de varejo e petróleo. 

– Uma empresa faltam 20%, a outra, 40%. Será uma empresa – alegou.

– Tem uma empresa que é um projeto de trabalho, de varejo e outra de petróleo. A de varejo pode envolver o sócio torcedor. A de petróleo ela quer saber dos eventos, quantos eventos pode fazer – exemplificou.

Por fim, o "homem forte" por trás da construção da Arena Corinthians culpou a imprensa pelo atraso nas negociações do naming rights. No entendimento de Andrés, o fato de a Rede Globo se referir ao estádio do Palmeiras como "Arena do Palmeiras" e não como "Allianz Parque" interfere nas conversas do Timão com empresas. Durante a entrevista ao SporTV, canal da TV pago que pertence à Globo, o ex-presidente do Corinthians chegou a pronunciar "Allianz Parque".

– O que mais compromete é a internet, a imprensa não colocar o nome, esse é o grande entrave – argumentou.

– Num futuro muito rápido, Corinthians e Palmeiras disparam se os outros clubes não acompanharem. Estou sofrendo, mas vale a pena – completou, se referindo à possibilidade de os dois clubes paulistas terem naming rights em suas novas arenas nos próximos anos.