Luis Flavio de Oliveira

Árbitros já passaram a adotar novidades na arbitragem (Foto: Ale Cabral)

RADAR / LANCE!
17/05/2016
15:35
Rio de Janeiro (RJ)

A decisão da CBF em adotar as novas regras de arbitragem da fará com que torcedores e jogadores tenham de se acostumar a algumas mudanças nesta sequência de temporada. Para esclarecer algumas dúvidas, o Especialista em Arbitragem da Academia LANCE!, José Roberto Wright, aponta as principais novidades no texto da International Football Association Board (Ifab).

Embora faça algumas ressalvas ao novo texto da Ifab, o ex-árbitro vê com otimismo a decisão da CBF em utilizar as regras tanto no Brasileirão quanto nas sequências da Copa do Brasil e de outras competições nacionais. As mudanças também serão vistas na Copa América Centenário:

- A adequação do futebol brasileiro às regras de arbitragem fará com que os jogadores e clubes disputem qualquer competição internacional a par das novas mudanças.


O LANCE! elenca abaixo as alterações mais relevantes do texto, seguidas dos comentários de José Roberto Wright. Apenas a Regra 2, que se refere à bola, não trouxe mudanças.

REGRA 1 – O CAMPO DE JOGO


Competições determinam a altura dos gols e as dimensões do gramado.

"Vários campos não terão condições de ser utilizados em competições. Muitos estádios menores serão inutilizados, porque não têm como aumentar a dimensão atual dos seus gramados".

Toda publicidade comercial no campo deverá ficar ao menos 1m das linhas do campo. São permitidos logotipos/emblemas de associações de futebol, competições etc.nas bandeiras de tiro de canto (mas não publicidade).

"Achei a distância de um metro arriscada, porque um jogador pode se machucar. Dois metros seria o ideal.".

REGRA 3 - OS JOGADORES

Um jogador pode ser expulso antes mesmo do início do jogo. O cartão vermelho pode ocorrer a partir do árbitro iniciar a inspeção.

"É uma situação rara, mas pode acontecer e precisava de detalhamento. Um jogador pode ter um estranhamento com árbitro ou até com um adversário, vindo de um jogo anterior. Por revanche de ter sido agredido, este jogador poderá criar uma situação de beligerância. Mas creio que esta regra será pouco utilizada".

Tiro livre direto ou tiro penal: se um substituto, ou integrante da equipe, ou jogador expulso interferir na jogada tocando na bola que entra no gol.

"Decisão válida, porque todos os jogadores regularmente inscritos fazem parte do espetáculo. Anteriormente, em lances que tivessem um corpo estranho tocando na bola, o árbitro daria bola ao chão em qualquer situação. Agora, a punição é mais grave".


REGRA 4 - EQUIPAMENTO

Caso o jogador tenha necessidade de sair de campo para mudar seu equipamento, não precisa esperar a autorização do árbitro para o retorno.

Esta mudança dá um dinamismo maior para a partida e maior autonomia ao corpo de arbitragem. Além de a equipe não ficar desfalcada até a bola sair, agora os assistentes e o quarto árbitro também ganham autonomia, avaliando o equipamento do jogador, para que ele volte ao campo.


REGRA 5 - O ÁRBITRO

Caso ocorra mais de uma decisão ao mesmo tempo, a mais grave será punida.


"A nova regra esclareceu uma decisão que dava margem para dúvida. Antes, um lance como este era punido com bola ao chão, caso simultaneamente houvesse interferência de ambas as equipes. Agora, a mais grave prevalecerá".

REGRA 8 - O INÍCIO E REINÍCIO DE JOGO

A bola deve mover-se claramente para entrar em jogo em todo chute para reiniciar o jogo. A bola poderá ser chutada em qualquer direção no pontapé inicial.


"O objetivo claro desta regra foi dar dinamismo ao jogo. Arrisco dizer que, com o passar do tempo, este recurso tenderá a ser muito utilizado, pois o toque na bola para trás facilitará para que um bom jogador acione em lançamento jogadores e inicie um ataque claro".


REGRA 9 - BOLA DENTRO E FORA DE JOGO

A bola está em jogo, inclusive, quando bate em uma trave, bandeira de escanteio ou outro elemento e volta para o campo.


"Esta regra ratifica que a bola seguirá em jogo, inclusive, se desviar em um árbitro e voltar para o campo, contanto que o assistente esteja bem próximo a linha, impedindo que ela transponha totalmente as linhas demarcatórias".

REGRA 10 - DETERMINANDO O RESULTADO DA PARTIDA


Um jogador temporariamente fora de campo (lesionado, por exemplo) no fim de jogo poderá participar das cobranças de pênaltis.


"Trata-se de uma regra que passou a ser especificada. O jogador lesionado não foi substituído, e, por isto ,tem amplas condições de disputar as cobranças de pênalti".

Haverá dois sorteios antes das cobranças de pênalti. Um para definir o lado, e outro para decidir quem começa a ordem de cobranças.

"É um detalhe que pode favorecer a sorte. Antes, quem começava a bater escolhia o lado e, agora, terá a cjhance de ganhar também o sorteio da ordem das cobranças".

REGRA 11 - IMPEDIMENTO


A linha que divide o gramado é considerada neutra. Caso esteja com o pé sobre ela, o jogador está pisando no próprio campo.

"Esta regra dá margem para dúvida, pois o jogador que estiver com um pé sobre a linha e um pé sobre o próprio campo está em condição legal. Mas, na redação atual, se o jogador estiver com um pé sobre a linha central do gramado e outro no campo adversário, estaria, segundo o texto, em posição legal. Tenho dúvidas se não caracteriza um impedimento. Isto precisa ser esclarecido".


Os braços do goleiro adversário não serão levados em conta para avaliar se um jogador está em impedimento.

"Um detalhe necessário, que também passa a ser esclarecido".

Posição de impedimento só é infração quando o jogador envolvido está ativo.

"Esta é a espinha dorsal do impedimento e um grande ponto de discussão. A combinação de posição e influência define irregularidade ou não do jogador. É necessário ver até onde ele faz a diferença em uma jogada".

REGRA 12 - FALTAS E INCORREÇÕES

Ofensa (infração) com contato físico contra substitutos, oficiais da equipe, árbitros, etc, passa a ser tiro livre direto.


"É uma situação interessante e, analisando friamente, justa. O árbitro é integrante do jogo. Independente da equipe, o tiro livre direto contra o adversário é mais justo. Porém, esta uma situação rara, dificílima de se ver".

Falta fora de campo como parte do jogo normal será punida com tiro livre direto, sobre a linha que delimita o campo de jogo, no ponto mais próximo da infração, tiro penal se a falta ocorrer nos limites da área penal do infrator.

"Outra alteração substancial, mas que o árbitro tem de saber entender. No momento da dividida da bola, em que um jogador sai de campo taticamente e em disputa fora do gramado, sofre uma falta ou agressão, o árbitro marcará o tiro livre direto dentro de campo. Caso seja na lateral, a infração será cobrada próximo ao local onde ocorreu. Em caso de falta fora de campo, na linha de fundo, o árbitro apontará um pênalti." 

Quando um jogador impedir um gol ou uma clara oportunidade de gol da equipe adversária com falta de mão deliberada, o jogador deve ser expulso onde quer que a falta ocorra.

"Perfeito. Não houve grandes mudanças e ajuda a coibir a violência".

Quando um jogador cometer uma falta contra um adversário, dentro da própria área penal, que impedir um gol ou uma clara oportunidade de gol do adversário, e o árbitro conceder um tiro penal, o jogador infrator será advertido com cartão amarelo, salvo se:
– A falta for de segurar, puxar ou empurrar;
– O jogador infrator não tentar jogar a bola, ou quando não houver possibilidade de jogar a bola; ou
– A falta for punível só com cartão vermelho, independente da parte do campo em que ocorra (ex: falta grave, conduta violenta, etc…).


"Complicaram uma situação que estava definida, pois falta grave ou violenta é cartão vermelho, por definição. A definição de amarelo para impedir um gol ou oportunidade de gol um adversário abranda a gravidade da infração. Teremos bastante confusão em torno deste tipo de jogada em uma partida".


REGRA 14 - O TIRO PENAL

Declaração clara de quando um tiro penal (TP) termina/se completa.
Algumas infrações sempre serão punidas com um Tiro Livre Indireto (TLI), independentemente de o TP resultar ou não em gol:
– TLI se jogador não identificado cobrar o pênalti deliberadamente (cartão amarelo ao jogador que chutou);
– TLI se a bola for chutada para trás;
– Se ocorrer finta “ilegal” será sempre Tiro Livre Indireto (Cartão Amarelo para jogador que cobrou o pênalti);


"Clareou com relação à intenção de ludibriar a identificação de um jogador que irá cobrar. Clareou também quanto à punição ao chutar a bola para trás. O tiro livro era revertido, e agora será punido. Caso a velha "finta" na corrida para o chute for aplicada, cartão amarelo e tiro livre indireto. Para mim, a reversão de um pênalti é mais grave do que fazer uma simples finta "ilegal". Poderia até expulsar o infrator, mas o pênalti tinha que ser cobrado".


Se o goleiro infringir a regra e o Tiro Penal for perdido, o Tiro Penal será repetido e o goleiro receberá Cartão Amarelo.

"Esta mudança é perigosa. O goleiro pode dar um passo à frente sem intenção. Talvez fosse melhor ocorrer a punição com amarelo em uma reincidência".