Vasco x Brusque

Autor de um dos gols, Cano levantou a bandeira LGBTQIA+ na celebração (Foto: Reprodução/Premiere)

Jonas Moura
27/06/2021
23:13
Rio de Janeiro (RJ)

O Vasco passou sufoco, mas conseguiu respirar na Série B do Campeonato Brasileiro. Neste domingo, Marcelo Cabo viu Léo Matos marcar no fim para garantir a vitória de seus comandados sobre o Brusque por 2 a 1, em São Januário, pela sétima rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, a terceira na competição. O jogo foi marcado por homenagens do Cruz-Maltino em pelo Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, com camisa especial, mosaico no estádio e a celebração de Germán Cano do gol que abriu o placar.

> Veja a tabela e a classificação da Série B do Brasileirão

SALTO NA TABELA

Com o resultado, o Vasco pulou quatro posições e terminou a sétima rodada em sexto lugar, com 10 pontos e a dois do G-4. O Brusque caiu duas colocações e aparece logo abaixo do Cruz-Maltino, com o mesmo número de pontos, mas com um jogo a menos e atrás no critério de gols marcados.

INÍCIO MORNO

Os mandantes, que vinham pressionados após a derrota para o Cruzeiro, tiveram mais a posse de bola no primeiro tempo, mas pouco criaram. Em uma etapa morna, a primeira boa chance veio 27 minutos, após uma falha da defesa do Brusque. Morato ficou com a bola e, em velocidade, encontrou Cano, mas o argentino tocou para fora.

BRUSQUE ACORDA

O Cruz-Maltino manteve a marcação forte e anulou a maior parte das tentativas de contra-ataque dos catarinenses. Mas aos poucos o Brusque acordou e até impôs alguma pressão na reta final. Os visitantes ficaram perto de abrir o placar três vezes, com Ernando, Edu e Alex Juan, mas sem sucesso. 

DE CARA NOVA

O Vasco voltou para o segundo tempo com mais intensidade e o jogo mudou de cenário. Logo no início, Cano achou Marquinhos Gabriel, que cruzou para Léo Matos acertar a trave.

HOMENAGEM NOBRE

Aos 17, veio enfim o primeiro gol do Cruz-Maltino. Morato tocou para Germán Cano, que mandou para as redes. Na comemoração, o argentino retirou a bandeirinha de escanteio do lugar e ergueu a bandeira LGBTQIA+, em sintonia com a celebração do dia.

CABO EM APUROS

O Brusque, que tentava encontrar uma brecha nos contra-ataques, também alcançou o objetivo, aos 34. Toty cruzou no meio da área do Vasco para Edu, que completou para o gol com a coxa esquerda. O resultado poderia ampliar a pressão enorme sobre o treinador vascaíno.

O PERSONAGEM

Mas as mexidas de Cabo na reta final surtiram efeito, e os donos da casa garantiram a virada aos 42 do segundo tempo. Leandro Castan venceu a defesa e tocou de cabeça para Léo Matos, que ficou cara a cara com o goleiro e decretou o triunfo suado.

FICHA TÉCNICA

Vasco 2 x 1 Brusque

Data/Hora: 27/06, às 21h
Local: São Januário, Rio de Janeiro (RJ)
Público/renda: Sem público
Árbitro: Salim Fendes Chavez (SP)
Assistentes: Marcelo Van Gasse (Fifa/SP) e Daniel Paulo Ziolli (SP)
Cartões amarelos: MT, Daniel Amorim, Léo Matos, Leandro Castan e Cano (VAS); Bruno Lopes, Diego Mathias e Thiago Alagoano (BRU)
Cartões vermelhos: Nenhum.
Gols: Cano (17' 2ºT), Edu (34' 2ºT) e Léo Matos (42' 2ºT)

VASCO: Lucão; Léo Matos, Ernando, Castan e Riquelme (Sarrafiore 41'/1ºT); Andrey, Galarza (Gabriel Pec 41'/2ºT) e Marquinhos Gabriel; Morato (Leo Jabá 25'/2ºT), MT (João Pedro 41'/2ºT) e Cano. Técnico: Marcelo Cabo

BRUSQUE: Jefferson Paulino; Toty, Claudinho, Ianson e Airton; Fillipe Soutto (Jhon Cley 26'/2ºT), Zé Mateus, Diego Mathias e Thiago Alagoano; Edu (Juliano 42'/2ºT) e Alex Juan (Bruno Lopes 27'/2ºT). Técnico: Jerson Testoni