Montagem Vasco - Bruno Gomes e Thalles Magno

Divulgação; Rafael Ribeiro/Vasco

Felippe Rocha e Fernanda Teixeira
12/09/2020
07:00
Rio de Janeiro (RJ)

O sinal ligado é de cor amarela: expulsões de jogadores jovens, em momentos parecidos de cada jogo e com o resultado desfavorável. Há atenção no Vasco porque as ausências de tais jogadores pouco influenciam para a partida em questão, mas geram desfalque para o compromisso seguinte.


Contra o Atlético-GO, na última quinta-feira, o excluído, já no fim dos acréscimos, foi Bruno Gomes. O volante havia entrado durante a partida e não poderá ser substituto de Andrey, com uma possível lesão para tratar até o jogo contra o Botafogo, neste domingo.

No fim do mês passado, o expulso foi Talles Magno. No jogo contra o Fluminense, o atacante fez o gol que diminuiu o placar, mas, perto do apito final, empurrou Igor Julião e desfalcou o Cruz-Maltino no jogo seguinte. Em tempos de muitos desfalques por outras razões, o clube observa tais cartões vermelhos com cuidado.

– Vou ver o lance (do Bruno) direitinho. Pode ser coincidência. Os dois jogos que perdemos tiveram Talles e o Bruno Gomes foram expulsos. Vamos conversar. São jogadores preparados para qualquer tipo de situação. Com pressão ou não. Eles já jogaram no ano passado – lembrou Ramon Menezes.

A discreta preocupação do treinador se justifica. O Vasco tem jovens em diferentes etapas de maturação como profissionais e em momentos distintos de destaque. Há pilares como Talles, suplentes como Bruno e aspirantes como Lucas Santos e Tiago Reis. Todos buscam espaço e contribuir para o sucesso do time. E demonstrar um possível desequilíbrio mental diante da pressão da derrota é tudo que não agrega ao time.