Riascos durante treino em São Januário

Dinheiro de Coutinho já foi usado para quitar dívidas com elenco e funcionários (Foto: Paulo Fernandes/VASCO)

João Mércio Gomes
23/03/2018
18:03
Rio de Janeiro (RJ)

Esta sexta-feira era um dia decisivo para o Vasco. E, para alegria de todos do clube, a previsão deu certo. O dinheiro referente à venda de Coutinho foi liberado pela Federação Inglesa, caiu nos cofres do clube e, consequentemente, os salários de fevereiro dos atletas e funcionários foram pagos.

O Vasco aguardava a quantia, de pouco mais de quatro milhões de reais, desde o início do mês. A burocracia dos documentos internacionais atrasou o planejamento e teve efeitos negativos no elenco. A diretoria prometeu quitar dívidas na semana passada e, como o dinheiro não havia chegado, irritou o elenco. Na última partida, o atacante Riascos sequer comemorou gol decisivo e expôs insatisfação dos atletas publicamente.

O Vasco terá direito a mais duas parcelas com a mesma quantia para receber do Liverpool. A porcentagem faz parte do mecanismo de solidariedade da Fifa para clubes formadores de atletas. 

Além da insatisfação dos atletas, o alívio é grande no clube. Isto porque, após três meses de dívidas, os jogadores podem pedir na Justiça a rescisão de contrato. Mesmo assim, ainda há dívidas referentes ao 13º, férias e direitos de imagem.