Thomaz Bellucci

Fotojump

Tênis News
07/04/2019
12:09
Alicante (Espanha)

Thomaz Bellucci deu uma interessante entrevista ao blog espanhol Punto de Break durante o Challenger de Alicante, no qual ele conquistou a chave de duplas no último sábado. O paulista falou sobre seu difícil atual momento.

"De longe, sim, é o pior momento da minha carreira. Não tenho tido grandes resultados há mais de um ano, é uma etapa muito difícil", iniciou, conversando com o jornalista Fernando Murciego.

Mesmo com tantas dificuldades, Thomaz se diz motivado para voltar a alcançar feitos grandes no circuito. Ex-número 21 do mundo, ele agora é apenas o 225° colocado.

"Mas eu também te digo: se não achasse que poderia recuperar meu nível, não estaria jogando esses torneios, já teria os deixado. Isso me motiva a continuar jogando e ter a oportunidade de competir em grandes torneios, para voltar ao lugar onde sempre estive, já que fiquei dez anos entre os 100 melhores", enfatizou.

Sem ganhar um evento em simples desde 2016, Bellucci revelou qual foi o momento em que percebeu seu declínio.

"No ano passado, eu não comecei mal. Joguei bem em Buenos Aires e em outro torneio, mas perdi alguns jogos que tiraram muita confiança. Ao longo da minha carreira, sempre que fui aos torneios Challenger foi para ganhar o evento. Se fizesse quartas de final ou semifinal, aquela não teria sido uma boa semana."

"No momento que tive que jogar Challengers novamente e vi que estava perdendo jogos que não perdia antes, para mim, foi um momento difícil. Isso quebrou minha confiança. Mentalmente, mudou tudo", explicou.

O canhoto admitiu que já está na parte final de sua carreira, mas acredita que ainda tem tempo de dar a volta por cima.

"Não sou muito jovem, não tenho que esconder isso (risos). Posso ter mais três ou quatro anos no circuito. Fisicamente, não me pareço mal, então ainda posso me ver por um tempo na ativa", projetou.

Questionado sobre se estipula metas e prazos para voltar aos bons momentos, o natural de Tietê rechaçou, explicando que não seria uma boa estratégia e dizendo o que o faz seguir lutando.

"Não, isso só colocaria mais pressão em mim. Imagine que eu coloque um limite de um ano e, em seis meses, não ganhe jogos... A pressão que eu teria nos últimos seis meses seria insuportável. Continuarei jogando enquanto acreditar que posso voltar ao top 100", disse.

Por fim, Bellucci explicou que a experiência que adquiriu em sua carreira pode ajudar na retomada dos bons resultados. "Vamos ver o grande Bellucci de novo?"

"Por que não? Hoje faço coisas muito melhores do que quando tinha 21 anos. Tenho muito mais experiência, mais maturidade. Acho que posso voltar, mas não será fácil. Preciso encontrar a motivação que me levou ao top 21", finalizou.