Gustavo Heide e Camila Bossi

Marcello Zambrana/CBT

TÊNIS NEWS
07/04/2019
20:17
Itajaí (SC)

Os paulistas Gustavo Heide e Camilla Bossi são os campeões do Roland-Garros Junior Wild Card Series, em parceria com a Taroii Investment Group. Eles vão para o pré-quali mundial em Paris buscando vaga direta no Grand Slam.

Na tarde deste domingo, os dois tenistas levaram a melhor nas finais disputadas nas quadras do Itamirim Clube de Campo, em Itajaí (SC). Na decisão, Heide superou Rafael Silva, também de SP, por 2 sets a 1 (3/6, 6/4 e 6/3). Camilla ganhou da goiana Nalanda Silva também por 2 a 1 - 3/6, 7/6 (9) e 7/6 (3).

Além do troféu, os dois atletas ganharam o direito de disputar o qualifying para Roland-Garros Junior, em maio, em Paris, para onde viajarão com tudo pago. Eles irão enfrentar os vencedores das mesmas seletivas da China e da Índia, sendo que só um homem e uma mulher avançam para a chave principal do Grand Slam juvenil.

O Brasil - juntamente com os dois países asiáticos - é uma das três nações que recebem o Roland-Garros Junior Wild Card Series. O evento é realizado no país desde 2015, fruto de uma parceria entre a Confederação Brasileira de Tênis e a Federação Francesa de Tênis.

"Em nome do tênis brasileiro, quero agradecer a parceria da Federação Francesa de Tênis por acreditar no trabalho que a gente vem desenvolvendo no Brasil. A realização de mais um Roland-Garros Junior Wild Card Series é reflexo disso, nos termos de cooperação que temos há cinco anos", afirma Rafael Westrupp, presidente da Confederação Brasileira de Tênis. "Não posso deixar de destacar o presidente da Federação Catarinense de Tênis, Alexandre Farias; Claudio Werner, diretor do Itamirim Clube de Campo; e ao Carlos Trossini e à Taroii Investment Group, que fizeram que esse torneio se tornasse realidade", completou.

Na aguardada final masculina, Heide, cabeça de chave número 1 do torneio, enfrentou Rafael Silva, finalista da competição no ano passado. Mais uma vez, Silva saiu vencendo por 6 a 3. Mas, assim como da última vez, acabou levando a virada. Apesar do nervosismo após a derrota no primeiro set (o único que perdeu na competição), Gustavo, que é de Ribeirão Preto, conseguiu colocar os nervos no lugar para reagir.

"Eu confesso que no começo estava um pouco nervoso, pois tinha bastante gente assistindo e estava passando na TV, mas consegui me acalmar e encontrar o meu jogo. Agora, vou treinar para chegar em Paris e dar o meu máximo, assim como dei em todos os jogos aqui. A ficha ainda não caiu, estou muito feliz", comemorou o campeão.

Heide, que treina na CFTRP, em Riberão Preto, e é fã de Guga, Federer e Djokovic, traçou uma estratégia para enfrentar Rafael Silva, com quem já havia duelado em outras cinco ocasiões. Com a vitória deste domingo, o histórico do confronto ficou empatado em 3 a 3. "Sei que ele joga muito bem, corre muito e é canhoto. Sabia que, se quisesse ganhar, tinha que ser ofensivo, não poderia ficar apenas trocando bola. E foi o que fiz", explicou.

Favorita ao título por entrar como principal cabeça de chave no feminino, a goiana Nalanda Silva começou bem a partida e venceu com tranquilidade o primeiro set. Mas Camilla Bossi mostrou garra para buscar o resultado e virar a partida. Apesar de ter apenas 15 anos, ela mostrou maturidade para vencer a competição na categoria 18 anos.

"Como dizem, idade não é documento, altura não é documento. Então, nem penso nisso. Só entro, jogo e me divirto. É por isso que jogo tênis. Eu não tenho palavras para descrever o que representa conquistar esse título", destacou a campeã.